2013-monica-e-cebolinha-22
Coletiva do musical ‘Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta’
2 de maio de 2013
imagem_release_84754
Musical ‘A Princesinha’ estreia em São Paulo
13 de maio de 2013

Bastidores do musical ‘Milton Nascimento – Nada Será Como Antes’

cena-do-musical-nada-sera-como-antes-sobre-o-compositor-brasileiro-milton-nascimento-1363722283889_1920x1080

Aclamado como um dos maiores compositores e a grande voz masculina do Brasil, Milton Nascimento completa 50 anos de carreira e 70 de vida em 2012. Para celebrar a importante data, a dupla Charles Möeller & Claudio Botelho apresenta o musical “Milton Nascimento – Nada Será como Antes”.

Assim como “Beatles num Céu de Diamantes”, outro sucesso da dupla Möeller & Botelho, “Milton Nascimento – Nada Será Como Antes” não tem perfil biográfico. Não há uma historinha, nem diálogos. O formato segue o estilo ‘revista’, com foco primordial nas canções. O contexto é uma casa no interior de Minas, onde amigos, tal como no Clube da Esquina, se reúnem para cantar, tocar instrumentos e viver histórias.

A vastidão da obra foi um desafio encontrado pela dupla na hora de selecionar o repertório final e formatar o roteiro do espetáculo. “Chegamos a pensar em fazer somente o ‘Clube da Esquina’, para ter um recorte mais focado, mas seria injusto deixar dezenas de clássicos de fora”, explicam os diretores, que optaram por uma divisão do musical em quatro atos correspondentes às estações do ano.

Enquanto composições que remetem a um solar imaginário interiorano (‘Bola de Meia, Bola de Gude’, ‘Aqui é o País do Futebol’) compõem o ‘Verão`, ‘A Cigarra’, ‘Um Girassol da Cor do seu Cabelo’ e ‘Nuvem Cigana’ dão colorido à Primavera. Clássicos que atravessaram gerações (‘Cais’, ‘Caçador de Mim’, ‘Encontros e Despedidas’ e ‘Faca Amolada’) moldam o Outono e continuam pelo Inverno, com ‘Nada Será como Antes’ e ‘O que foi Feito Devera’.

Marya Bravo, Claudio Lins, Tatih Köhler, Pedro Sol, Estrela Blanco, Jules Vandystadt, Cássia Raquel, Jonas Hammar, Wladimir Pinheiro e Sergio Dalcin dividem a cena com os músicos Delia Fischer – também responsável pelos arranjos –, Lui Coimbra, Whatson Cardozo e Pedro Aune.