Foto: Caio Gallucci
Musical ‘Barbaridade’ chega a São Paulo sem Susana Vieira
13 de julho de 2015
2015-raia-30-11
Coletiva do musical ‘Raia 30’
21 de julho de 2015

Bastidores do musical ‘Nine’

2015-nine-42

Lançado em 1963, ‘8 ½’ estabeleceu a consagração definitiva de Federico Fellini como um dos grandes cineastas de todos os tempos. Saudado pela crítica como obra-prima, o longa recebeu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e representou uma quebra de paradigmas, ao misturar diversos planos narrativos. Mais de vinte anos depois, em 1982, o clássico felliniano deu origem ao musical ‘Nine’, que também promoveu uma ruptura estética na Broadway e seguiu uma carreira de sucesso, com incríveis 1729 sessões e cinco prêmios Tony, incluindo o de Melhor Musical.

Após inspirar o filme homônimo (dirigido por Rob Marshall em 2009), ‘Nine’ ganha uma inédita versão brasileira, em um espetáculo dirigido por Charles Möeller & Claudio Botelho. O ator italiano Nicola Lama tem o desafio de interpretar Guido Contini, o protagonista que já foi vivido por Raul Julia (1982) e Antonio Banderas (2003) no teatro e por Daniel Day-Lewis no cinema. Ele é o único homem em um elenco formado por atrizes de gerações e referências diversas, como Beatriz Segall – que faz a sua estreia, aos 88 anos, em teatro musical – e Malu Rodrigues, já uma ‘veterana’, em seu nono musical, aos 20 anos.

Em cena, Guido Contini, diretor de cinema conhecido internacionalmente, está em uma grave crise criativa, sem saber como desenvolver o seu próximo projeto. Para fugir das tensões, ele resolve passar alguns dias em um SPA em Veneza, onde encontra – em diferentes planos, como realidade, memória, fantasia, sonho – todas as mulheres de sua vida: a mãe (Beatriz Segall / Sonia Clara), a esposa (Carol Castro), a amante (Malu Rodrigues), a musa de seus filmes (Karen Junqueira), a prostituta (Myra Ruiz) e a produtora de seus filmes (Totia Meireles).

O elenco conta ainda com Leticia Birkheuer, Renata Vilela, Camilla Marotti, Lais Lenci, Lola Fanucchi, Isabella Moreira, e Priscila Esteves, além dos pequenos Gabriel Ferrarini e Nicolas Cruz. Na parte criativa, além de Charles Möeller & Claudio Botelho, estão o cenógrafo Rogério Falcão, o figurinista Lino Villaventura, o coreógrafo Alonso Barros, o visagista Beto Carramanhos, o designer de som Ademir Moraes Jr., o designer de luz Paulo Cesar Medeiros e o diretor musical Paulo Nogueira. A coordenação artística fica por conta de Tina Salles e a produção executiva é de Edson Lopes.