Foto: Giovana Cirne
Inspirado na obra de William Golding, musical ‘Senhor das Moscas’ estreia em São Paulo
26 de abril de 2017
mancha
Bastidores do musical ‘O Homem De La Mancha’
11 de maio de 2017

Coletiva do musical ‘Alegria Alegria’

capa

Em 2017 a Tropicália comemora 50 anos e, para contar a história deste movimento que revolucionou a Música Popular e a cultura brasileira, vem ai “Alegria Alegria – O Musical”, com estreia no dia 13 de Maio no Teatro Santander, em São Paulo.

Com roteiro e direção de Moacyr Góes, que faz sua primeira incursão no teatro musical, o espetáculo é protagonizado pela cantora Zélia Duncan, que assume o papel de narradora e condutora da peça. O elenco conta ainda com Josi Lopes, Laura Carolinah, Luana Zenun, Nay Fernandes, Pamella Machado, Stephanie Serrat, Talitha Pereira, Bruno Fraga, Daniel Caldini, João Felipe, Luiz Araujo, Marcos Lanza, Patrick Amstalden, Cadu Batanero e Ingrid Gaigher.

O espetáculo apresenta as canções de Caetano Veloso, consideradas pelo diretor “a tradução mais fiel do movimento”, mas também haverá composições de Gilberto Gil, Roberto Carlos, Chico Buarque, Luiz Gonzaga e Vicente Celestino, entre outros. Para contar a história do tropicalismo, no entanto, o diretor optou por criar um espetáculo musical não convencional:

– Não é um espetáculo que atenda, digamos, à trajetória tradicional do musical como linguagem, que é ter uma história, ter uma trama, e que é composto por músicas que ajudam esta trama a se desenvolver até o seu desenlace. Não acho que para falar de tropicalismo, para pensar sobre tropicalismo, pudesse ser assim, pudesse tentar colocar em uma trama tão tradicional o que, em si, é tão pouco afeito a normas. Eu procurei estruturar um roteiro que tivesse uma lógica, que contasse uma história, mas não de uma maneira tradicional, que não fosse um musical histórico, didático. Eu não quero explicar para as pessoas o que foi o tropicalismo, eu quero que as pessoas passem por uma experiência com as músicas e com as cenas, que produza sentimentos, reflexões, emoções, etc. É um espetáculo para você sorver.

Além de Moacyr Góes, a equipe criativa do espetáculo conta com direção musical e arranjos de Ary Sperling, coreografias de Alonso Barros, cenografia de Helio Eichbauer, vídeo cenário de Richard Luiz e figurinos e visagismo de Fabio Namatame. Também estão no time técnico Thiago Gimenes (arranjos, preparação vocal e regência), Tocko Michelazzo (designer de som), Fran Barros (designer de luz), Luis Bueno (direção de arte) e Beatriz Lucci (assistente de direção).