BELA


Tudo é igual nessa minha aldeia

Sempre está nessa mesma paz

De manhã todos se levantam

Prontos pra dizer

Bonjour!

Bonjour!

Bonjour!

Bonjour!

Bonjour!

Vem o padeiro com os seus assados

Com pães e bolos pra ofertar

Todo dia é assim

Desde o dia em que eu vim

Pra essa aldeia do interior

(...)

Temos aqui uma garota estranha

Tão distraída lá vai ela

Não se da com o pessoal

Pensa que é especial

Chega a ser tão engraçada a nossa Bela

Bonjour!

Bom dia!

E a família?

Bonjour!

Bom dia!

E sua esposa?

Tem ovo ai?

Ta caro o preço!

Eu quero mais que a vida no interior

(...)

Esta garota é muito esquisita

O que será que há com ela?

Ela é uma criatura

Com mania de leitura

É um enigma pra nós

A nossa Bela

É um lindo romance

Eles dois se encontram no jardim

É o príncipe encantado

Mas ela descobre quem ele é quase no fim

O nome dela quer dizer beleza

Não é difícil de entender

Mas por trás desta fachada

Ela é muito fechada

Ela é bastante inteligente

Não se parece com a gente

Se tem moça diferente é Bela!

(...)

Desde o momento em que eu a vi, eu disse

Não há ninguém igual a ela

Eu vi logo que ela tinha

A beleza igual a minha

E é por isso que eu quero casar com ela

Lá vai

Gastón

Ele é sublime

Monsier Gastón

Tão bonitão!

Quando ele passa

Eu fico arfando!

É forte

É bruto

E é um solteirão!

Bonjour!

Gastón

Bom dia!

Oui

Mas isso é bacon?

Que belas flores

Mais queijo

Mais metros

Um quilo

Pardon

Eu pego a faca

Quero passar

O pão

O peixe

Ta velho

Já fede

Está enganado

A vida aqui nunca vai mudar

Eu quero levar Bela pro altar!

Nós nunca vimos moça tão estranha

É especial essa donzela

Nem parece que é daqui

Pois não se adapta aqui

Esquisita como ela é

Não tem ninguém só ela é

Mas todo mundo diz que ela

É Bela

CORES DOS MOMENTOS: CAIXINHA DE MÚSICA


Eu acredito ser possível

Fazer o tempo andar pra trás

O amor é a resposta

Nessa vida tão fugaz

Guardo as cores dos momentos

Para que nunca tenham fim

O amor sempre estará

Dentro de mim

BELA (REPRISE)


Madame Gastón, casar com ele

Madame Gastón, ele se engana

Não é pra mim, tenho certeza

Eu quero mais que a vida no interior

Quero viver num mundo bem mais amplo

Com coisas lindas para ver

E o que eu mais desejo ter

É alguém pra me entender

Ainda tenho muito o que viver

GASTÓN


Não me conformo em vê-lo, Gastón

Triste e desanimado

Qualquer um quer ser você, oh Gastón

Mesmo que mal humorado

Ninguém nessa aldeia é tão respeitado

Não há quem te possa enfrentar

É muito fácil saber o porque

És o rei desses meros mortais

Não há igual a Gastón

Nem melhor que Gastón

Nem pescoço mais grosso que o do Gastón

Nessa aldeia ninguém é tão homem

Modelo de perfeição

Se há valentes aqui todos somem

Pois você quando briga põe todos no chão

Quem faz mais que o Gastón?

Tem mais gás que o Gastón?

Quem conhece alguém que supere o Gastón?

Um espécime raro e impressionante

É nosso grande Gastón!

Valeu a motivação, ta Lefou

Nada mais que a verdade, é só senso comum

Pra socar, oh Gastón

Pra espancar, oh Gastón

Numa briga ninguém pode mais que o Gastón

Quando caço, eu busco o meu alvo

Os bichos suplicam perdão

Sempre miro no torço primeiro

Mas atiro pro trás

É legal!

Tanto faz!

Ninguém bate em Gastón

Nem combate Gastón

Ninguém cospe a distância melhor que o Gastón

Vejam como eu sou bom numa cusparada

Venceu o Gastón!

Duas dúzias de ovos comi todo dia

Pois eu sempre quis ser bem fortão

E com cinco dúzias que como hoje em dia

Eu fiquei maior que um carroção

Com poder

(É Gastón)

De entreter

(É Gastón)

Faz o público enlouquecer, é Gastón

As memórias de caça estão nas paredes

Nosso troféu

Um presente do céu

Cavalgando de pé, todos sabem quem é

O Deus vivo que habita entre nós

Não há nada igual, ele é excepcional

Ele é o G - A - S - T

Talvez tenha um outro T

Eu nunca percebi que eu sou analfabeto

Que eu nunca tentei soletrar um nome de cor

Gastón!

SEJA A NOSSA CONVIDADA


À vontade

À vontade

Prove a nossa qualidade

Ponha o guardanapo agora, chérie

E sirva-se a vontade

Soup Du jour

Hot hors d’oeuvres

Veja se o serviço serve

É um serviço que tem vida

Observe se duvida

Tudo canta, tudo dança

Afinal aqui é a França

E a comida aqui é uma especialidade

Abra o menu e veja

E agora esteja em sua casa

À vontade, à vontade

Beef ragout com suflê

Vários pratos a flambe

A comida é preparada especialmente pra você

Como vê

Só você

É a nossa convidada

Sejam facas ou colheres

Toda louça e os talhares

Todo mundo vai brincar

Todos querem festejar

E a comida já chegou para alegrar

Vamos então brindar

Pra te homenagear

E convidar

É verdade

Fique muito à vontade

À vontade

À vontade

À vontade

Como a vida é triste

Se o serviço não existe

Não faz bem vivermos sem servir ninguém

A como era bom nós sermos úteis

Hoje não servimos mais ninguém

Vivemos sem dono

Já pensando em abandono

Sem um exercício para nos manter em forma

Vagando e chorando pelos cantos

Já sem auto-estima

Você chega e nos anima

Veio alguém, veio alguém

Que chegou pro nosso bem

Já tem vinho e com carinho

Vou querer servir também

E depois da sobremesa

Eu vou por o chá na mesa

Vendo as xícaras dançando

Vou fervendo, borbulhando

A infusão já esquentou

Ai que horror, você manchou

Vou limpar, não se admiti coisa errada

Eu tudo vou fazer

Para te satisfazer

A convidada

(Convidada)

Convidada

(Convidada)

Pegue o prato e a colher

Peça tudo o que quiser

Já faz anos não servimos

Nenhum homem ou mulher

Hoje o nosso prazer

É só ver você comer

Nossas velas vão brilhando

Seu jantar vai te alegrando

Todos vão

Vão assim

Te servir até o fim

Todo mundo na maior felicidade

Enquanto se festeja

Por favor esteja

À vontade

À vontade

À vontade

Fique à vontade!

DOCE VISÃO


Doce visão

Guardo em mim aquela emoção

Eu te levo no coração

Sempre estás comigo

Quem me dera voltar

A ouvir tudo te encantar

Não consigo me conformar

De não mais te abraçar

Essa doce visão

Talvez nunca mais volte então

Guardo a emoção do tempo que foi

Oh, vou cantar

Contra a dor eu vou cantar

É só feitiço

Eu sempre insisto que o amor

Revela o melhor

Como manter a confiança

Em meio a dor e a escuridão

Já fui cheia de certezas

Só restou suposição

(Tempos atrás)

Largo enfim a minha infância

(Eu fui tão feliz)

Pai, não segure a minha mão

Eu percebo que cresci

O meu destino eu vou seguir

Nossa visão vai voltar a ser real

Vai ser assim

E todos irão renascer enfim

ALGUMA COISA ACONTECE


Ele foi bom e delicado

Mas era mau e era tão mal educado

Foi tão gentil e tão cortez

Por que será que eu não notei nenhuma vez?

Eu reparei

O seu olhar

E não tremeu quando chegou a me tocar

Não pode ser

Que insensatez

Jamais alguém me olhou assim alguma vez

O nosso fim, quem sabe?

Eu me sinto estranha, eu já vi

O lorde em disfarce

Talvez seja ele e eu não deva resistir

Mas vejam só

Não posso crer

Nem eu também

Não pode ser

Como é que pode?

Se entenderem assim tão bem

Que coisa estranha

O que será?

O que será que pode haver?

Estamos vendo alguma coisa acontecer

Que coisa estranha!

Estamos vendo alguma coisa acontecer

Que foi mamãe?

Estamos vendo alguma coisa acontecer

CORES DOS MOMENTOS: PARIS DA MINHA INFÂNCIA


Eu me deparo com o passado

Quando essa historia começou

Algum tempo neste sótão

Um artista achou o amor

Guardo na memória

Tudo que já fui

Só que a Paris da minha infância

Se foi

A BELA E A FERA


Sentimentos são

Fáceis de mudar

Mesmo entre quem

Não vê que alguém

Pode ser seu par

Basta um olhar

Que o outro não espera

Para assustar

E até perturbar

Mesmo a Bela e a Fera

Sentimento assim

Sempre é uma surpresa

Quando ele vem

Nada o detém

É uma chama acesa

Sentimentos vêm

Podem nos trazer

Novas sensações

Doces emoções

E um novo prazer

E numa estação

Como a primavera

Sentimentos são

Como uma canção

Para a Bela e a Fera

Sentimentos são

Como uma canção

Para a Bela e a Fera

NUNCA MAIS


Eu tinha tudo do melhor

Em mim eu sempre confiei

Não precisava de mais nada

E mais ninguém

De tanto eu me privei

A dor parece me romper

Por mais que eu tente me afastar

Ela invadiu sem dó

Meu pobre coração

E veio pra ficar

Nunca mais eu vou ser livre

Já não sei o que esperar

Ela trouxe um mundo novo

E eu não posso mais voltar

Só me resta a noite escura

Aprendi o que é ser só

Eu finjo que ela está aqui

Pra revelar o meu melhor

Os desafios do amor

Roubaram toda a minha paz

Embora eu tente me enganar e me iludir

Eu já não sou capaz

Nunca mais eu vou ser livre

O que eu era se partiu

Hoje eu reconheço em mim outro alguém

Que ela descobriu

Só me resta a noite escura

Um futuro sem amor

Eu não mereço um outro fim

Porque ela nunca foi pra mim

Eu vou viver pra sempre assim

Uma vida só de dor

A CANÇÃO DA MULTIDÃO


Ta na cara o que ele quer

Poderá nos atacar

Vai comer nossas crianças

Isso só pra começar

E o massacre dessa aldeia

Nós iremos assistir

Quem for homem vai ter que lutar

Terá que me seguir

Vamos lá, pelo mato

Pelas trevas e a neblina

Na jornada que será um pesadelo

E depois de passar

Pela ponte levadiça

Vamos ver aquele animal correr

Ele é um monstro

De caninos afiados!

Tem bocarra

E tem garra de pantera

Vai urrar, espumar

Mas não vamos deixar

De cortar esse mal pela raiz

Perseguir!

Destruir!

Quero em todos o maior furor

A ordem do Gastón agora é lei

A cavalo ou a pé

Vamos todos ao castelo

Quem lidera essa luta vira rei

Há uma fera a solta, é certo

Mas eu vejo outro monstro surgir

Ao melhor lutador

Seu suor, seu fervor

Toda glória e louvor

Com coragem e fé

Lutaremos destemidos

Sem saber o que iremos enfrentar

O inimigo é brutal

Nosso instinto é animal

E cabe a nós cortar o mal

Bem na raiz

Atacar!

Atacar!

A BELA E A FERA (FINAL)


Sentimentos vêm

Podem nos trazer

Novas sensações

Doces emoções

E um novo prazer

Toda estação

A beleza impera

Pronto pra viver

Novo amanhecer

Para a Bela e a Fera

E numa estação

Como a primavera

Sentimentos são

Como uma canção

Para a Bela e a Fera

Sentimentos são

Como uma canção

Para a Bela e a Fera