WILLKOMMEN

Bem vindo, bienvenue, wiilkommen

Você que veio pra nos ver

Gluklich zu sehen, je suis echanté

Fique a vontade, é um grande prazer

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret, ao cabaré

(…)

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret, ao cabaré

(…)

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret, ao cabaré

(…)

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret, ao cabaré

(...)

Fique a vontade, é um grande prazer

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret

Willkommen, bienvenue, welcome

Você que veio pra nos ver

Gluklich zu sehen, je suis echanté

Fique a vontade, é um grande prazer

Willkommen, bienvenue, welcome

Você que veio pra nos ver

Gluklich zu sehen, je suis echanté

Fique a vontade, é um grande prazer

Willkommen, bienvenue, welcome

Im cabaret, au cabaret, ao cabaré

NUNCA CONTA PRA MAMÃE


Mamãe acha que eu estou num convento

Desfrutando um bom momento

Em completa devoção

Mamãe coitada não imagina

Que sua doce menina

Vive em meio à perdição

Imploro que não contem nada a ela

Ela diz que eu sou donzela

E não pode suspeitar

Nada, nunca digam nada

Eu lhes peço, eu lhe imploro

Haja o que houver

Guardem

Meu segredo é tão mau enredo

Ela pode até morrer

Eu não mantive uma só promessa

Confesso que fui louca e tive muita pressa

Portanto meu amigo ouça o que eu lhe digo

Eu não sou qualquer fora da lei

Se quiser contar tudo pro meu pai

Ele segura e não cai

Mas nunca conte pra mamãe

Mamãe acha que estou no colégio

Que estou tendo o privilégio

De uma boa educação

Mamãe não faz a menor ideia

Esses homens da plateia

Me olhando com tesão

Eu peço para aqueles que a conhecem

Que talvez se interessem

Pela minha condição

Nada, nunca digam nada

Eu lhes peço, eu lhe imploro

Haja o que houver

Guardem

Meu segredo é tão mau enredo

Ela pode até morrer

Se ela souber que estou numa enrascada

Ela corta tudo e me deixa sem nada

Façam uma gentileza

Deixem sobre a mesa

Um pequeno agrado para nós

Se quiser contar pro tio também

Ele é meu agente, tudo bem

Mas nunca conte pra mamãe

Se quiser contar pra minha avó

Já teve presa e cheira pó

Mas nunca conte pra mamãe

Se quiser contar pro meu irmão

Ele já foi até meu cafetão

Mas nunca diga a ela

Vai deixar sequela

Nunca conte pra mamãe

DUAS PRA UM


Didudididudidi

São duas

Didudididudidi

As duas

Didudididudidi

Servindo a um homem só; eu!

Didudididudidi

Eu gosto

Didudididudidi

Gostamos

Didudididudidi

Somos assim

Didudididudidi

São duas

Didudididudidi

As duas

Didudididudidi

No meio um homem só

Didudididudidi

Eu gosto

Didudididudidi

Gostamos

Didudididudidi

Duas pra um!

Eu só cozinho

E eu limpo o chão

Já eu trabalho e ganho o nosso pão

Dividimos a cama

Nós 3

Didudidi

Nós 3

Didudidi

Nós 3

Didudididudidi

Trocamos de bares só pra variar

Os novos ares nos fazem suspirar

Eu durmo no meio

Eu cá e eu lá

Mas cabe muita gente, sempre se acha um lugar

Didudididudidi

São duas

Didudididudidi

As duas

Didudididudidi

E ele é um homem só

Didudididudidi

Eu gosto

Didudididudidi

Gostamos

Didudididudidi

Duas pra um!

GAROTA IDEAL

Eu conheci uma garota ideal

Num cenário perfeito pro amor

E eu brindava a chegada de um ano muito especial

E de repente ela estava ali sorrindo

E a solidão fez as malas, partiu

E eu sentindo que aquela garota ideal

Que nasceu para ser o meu par

Desejava sentada as histórias que eu ia contar

Mas agora ela vive ao meu lado

Num refúgio cansado pra dois

E aos poucos eu vou aprendendo como é bom amar

E ela enche os meus dias com histórias

De um passado imperfeito, imoral

Talvez eu devesse aprendê-la em um manual

E já que eu vim pra Berlim descobrir meu sonho

Que sorte eu tive, ela vai expirar na minha estreia

Talvez ela seja afinal, bem capaz de me surpreender

Mas seu nome é contido no romance que eu vou escrever

E vivemos os dois bem aqui

Numa janela que dá pro quintal

Eu e ela garota que eu sei que é meu par ideal

Eu conheci uma garota fatal

Eu não posso e não quero mentir

Ela entrou no meu quarto e agora pretende dormir

Eu acho que não me fiz entender direito

A cama estreita não é feita pra dois

Eu dou um jeito

GRANA


O dinheiro é que é o tal

Um vil metal

Fundamental

O dinheiro é que é o tal

Sem ele vai-se mal

Um dólar, um marco ou um tostão

Na minha mão, na minha mão

Um dólar, um marco ou um tostão

Escute o doce som

Que esquenta o coração

(me dá grana, me dá grana, me dá grana)

Se você nada em dinheiro

Bota pra quebrar

Se você nada em dinheiro

E deve ter alguém que se pode contratar

Sem sair do lugar

Se você nada em dinheiro

E perdeu um amor, você pode superar

E para de chorar

Basta apenas que entender

Que amar é sofrer

E um iate ancorado a beira-mar

O dinheiro é que é o tal

Vil metal

Fundamental

O dinheiro é que é o tal

Sem ele vai-se mal

E muito mal

(quero grana, muita grana, me dá grana)

Se você está na merda

E o sapato já chegou e o pé congelou

Se o estômago reclama

E diz com razão

Que a comida já não dá

Se um padre lhe aconselha

A rezar por um dia

Pois seu marco vai mal

Se acabamos de chegar e vier avaliar a janela

A janela

Quem tá aí?

A fome!

Puta que pariu!

Pela porta o amor fugiu

O dinheiro é que é o tal

Vil metal

Fundamental

O dinheiro é que é o tal

Sente o doce som da grana

Quero grana, muita grana, quem dá grana

(Quero grana, muita grana, quem dá grana)

Um dólar, um marco ou um tostão

Escute o doce som

Que esquenta o coração

(Quero grana, muita grana, quem dá grana)

O doce som

O dinheiro é que é o tal

HINO DO RENASCIMENTO

O sol na montanha abraça o verão

E os campos que vão florescer

E vamos sonhar juntos a nação

No dia que vai nascer

A mãe natureza também vem saudar

Um ouro do reino a correr

E manda mensagem só pra esperar

O dia que vai nascer

AMOR


Tudo vai mudar quando eu escutar

Duas sílabas só; amor

E um palácio então vai surgir do chão

Com a força do seu amor

E a solidão que andava aqui

Já não se pode encontrar

E toda manhã agradeço a Deus

Alguém que eu quis também me escolheu

E a solidão que andava aqui

Já não se pode encontrar

E toda manhã agradeço a Deus

Alguém que eu quis também

Alguém que eu quis também

Me escolheu

HINO DO RENASCIMENTO (REPRISE)


O sol na montanha abraça o verão

E os campos que vão florescer

E vamos sonhar juntos a nação

O dia que vai nascer

A mãe natureza também vem saudar

Um ouro do reino a correr

E manda mensagem só pra esperar

O dia que vai nascer

A paz da criança é nosso tendão

E a força nos traz o poder

E diz com firmeza levanta irmão

Pro dia que vai nascer

Ó pátria adorada nos mande um sinal

Seus filhos esperam pra ver

A glória de um povo vem afinal

No dia que vai nascer

Ó pátria adorada nos mande um sinal

Seus filhos esperam pra ver

A glória de um povo vem afinal

No dia que vai nascer

TALVEZ AGORA

Talvez agora sem demora

Ele venha pra mim

Talvez agora seja a hora

Do amor dizer sim

Ele vai ser, tão lindo

Para sempre meu

To cansada de perder

Dessa vez eu sei que é pra valer

Esse mundo de vitórias

Não feito pra mim

Foram tantas as histórias

Que chegaram ao fim

Eis que a sorte anuncia

Que vai surpreender

Talvez eu possa

Talvez eu diga

Dessa vez vou vencer

Este mundo de vitórias

Não foi feito pra mim

Foram tantas as histórias

Que chegaram ao fim

Eis que a sorte anuncia

Que vai surpreender

Talvez eu possa

Talvez eu diga

Dessa vez vou vencer

MEIN HERR


Você tem que entender que eu sou assim, mein herr

Um tigre aprisionado em corpo de mulher

Um pouco pra quem pode, um pouco pra quem quer

Sou assim

Vou assim

Digo sim

Falam assim

Sempre assim

Deixa assim

Bye bye mein liebe herr

Adeus mein liebe herr

O que é bom se vai com a correnteza

Eu lhe jurei amar

Mas devo confessar

Ficar sem mim é seguro, mein herr

Eu digo não, mein herr

Sem condição, mein herr

Findou-se a duração desse romance

Não olhe para trás

Não deixe de sorrir

E bata a porta quando sair

O mundo é tão grande, há tanto para ver

Com homens diferentes pra eu conhecer

Não sei se posso tê-los antes de morrer

Mesmo assim

Vou tentar

Conseguir

Conquistar

Um por um

Para amar

Bye bye mein liebe herr

Adeus mein liebe herr

O que é bom se vai com a correnteza

Eu lhe jurei amar

Mas devo confessar

Ficar sem mim é seguro, mein herr

Eu digo não, mein herr

Sem condição, mein herr

Findou-se a duração desse romance

Não olhe para trás

Não deixe de sorrir

E bata a porta quando sair

SE ELES SOUBESSEM O QUE VEJO


Sei o que eles dizem

Sobre a minha escolha

Não se elege uma tal mulher

Mas eu lhes asseguro

Que ela é muito boa

Se vocês pudessem ver

Iam se surpreender

Se eles soubessem o que vejo

Nos olhos do meu amor

Compreenderiam o desejo

Seja do jeito que for

Mas quando nós dois passeamos na rua

O falatório é geral

Mas se ela lhes desse

Compreenderiam afinal

Enumerar as virtudes

Nem sei o que comentar

Esperta, tão meiga e doce

Não pensa em beber ou fumar

Mas quando nós dois passeamos juntinhos

Ela quer se aconchegar

Mas sempre aqueles mesquinhos

Que vêm nos importunar

Nós só queremos a paz

Penso no que eu faria

E não sei o que fazer

Admito que ela é judia

Mas nem da pra perceber

O QUE FAZER


Na minha condição

O que fazer?

Nesta situação

O que fazer?

Você não pode entender

Pois tem tempo pra viver

Sonhar

Mas ponha-se no meu lugar

Sozinha aqui, espero que paguem o aluguel

Trancada aqui

Faz tempo não olho para o céu

Não posso abandonar

O que fazer?

Há um preço a pagar

O que fazer?

É tarde pra mudar

Você vê já não sou capaz

O que fazer, meu bom rapaz?

Vivendo aqui

Perdida no rombo que eu criei

Guardando aqui

Os restos da vida que eu sonhei

Sofrendo aqui

Quem disse que eu não me salvei?

Não me salvei

Às portas do horror

O que fazer?

Quando lembro do passado

Lamento, mas não fui feliz

O que eu fiz pra merecer?

Agora diz, o que fazer?

NÃO ME IMPORTA

Não me importa

Tudo bem

Eu não sei se ele vai

Ou se vem

Olha o céu já escureceu

E o amor acabou, morreu

Você se arrisca

Por que quer atenção

Com o seu coração

Não me importa

Tudo bem

Eu não sei se ele vai

Ou se vem

Tanto faz ser ou não feliz

Tudo mais sonda por um triz

Você se arrisca

Por que quer atenção

Com o seu coração

CABARET

De que adianta sentar e chorar

Eu vou cair de pé

A vida é um cabaret, meu bem

Venha pro cabaret

Saia de casa, esqueça o sofá

Venha comemorar

A vida é um cabaret, meu bem

Venha pro cabaret

Venha beber, se divertir

Toque a corneta sempre quando

Sua mesa está esperando

Nunca permita que apaguem a luz

Se você ainda quer brilhar

A vida é um cabaret, meu bem

Venha pro cabaret

Eu tinha uma amiga alucinada

Com quem eu dividi um apartamento

Mas não, não tinha bom comportamento

E dizia ‘só trabalho bem deitada’

Mas quando ela morreu a vizinhança

Comemorou o fato por vingança

Mas quando a vi lá no caixão

Não tinha medo e nem solidão

Daquela imagem nunca me esqueci

Nem das coisas que com ela eu aprendi

De que adianta sentar e chorar

Eu vou cair de pé

A vida é um cabaret, meu bem

Venha pro cabaret

Saia de casa, esqueça o sofá

Venha comemorar

A vida é um cabaret, meu bem

Venha pro cabaret

Penso assim, sinto assim

Quando chegar a minha hora

Vou igual, igual a ela

Diga a verdade, a vida é veloz

Sem medo ao perder

A vida é um cabaret, meu bem

Só mais um cabaret, meu bem

E eu amo o cabaret