MADRID

Madrid! Que cidade!

É mãe, madrasta, sonho, realidade

Madrid! Que loucura!

A vida nos faz um convite pra aventura

Todos girando no meio desse furacão

E vamos em frente sem saber ao certo qual a direção

Quem dormir não vai ver o amanhecer

Um novo dia sempre traz uma razão para viver

Ma-ma-ma-mama Madrid

Sou teu filho

Quero o teu solo, o teu colo, teu delírio

Tudo aqui parece natural

Espero ansioso que você faça um sinal

Se deixou para depois, bandeira dois

Faça frio ou calor, ao seu dispor

Madrid, nas ruas dá-se o drama

Bebe do teu leite qualquer um que tenha fome

Toda em technicolor e cinerama

E bocas pintadas sussurram o seu nome

(...)

Já estive em tantas ruas, nem me lembro mais

Levando passageiros no banco de trás

Um grande elenco a postos para mim

É outra cena, outra moda, todos vêm

A coisa não tem fim!

Madrid, a minha criadora

Ela me enlouquece, me apetece e me devora

(Me enlouquece, me devora)

Amor e ódio vivem lado a lado

Pois desejar alguém nunca é pecado

E se você quiser morrer, eu digo amém

Pois logo vai ressuscitar alguém, mas quem?

E tudo está aqui para nos receber

E o que você quiser vai conseguir fazer

A vida é cruel, o amor é vão

Tudo é passageiro, tudo é ilusão!

Numa rua qualquer, seja homem ou mulher

Sinta o coração, sinta o coração, sinta o coração!

Tum-tum-tum tum-tum-tum

Tum-tum-tum tum-tum-tum

Tum-tum-tum tum-tum-tum

Mamamamamamama... mama!

MENTE PRA MIM

Abra teu coração, eu quero ouvir

Tuas mentiras outra vez

Diz que o amor voltou e

Que não envelheceu

Que não morreu

Eu quero te ouvir mentir para mim

Tuas mentiras vão talvez me dar

Uma razão para viver

Diz que o amor voltou e

Que não envelheceu

Quero de volta a paixão

Quero mentir sem pedir perdão

Eu já não sei o que é real

O que é natural

Eu ando confusa

O que eu não daria pra ter

Tua boca a beijar

Sem medo ou recusa

Volto pra casa e vou te encontrar

Foi só um susto, já passou

Preciso te abraçar e

Juro, não vou chorar

Pois é teu meu amor

Quero ouvir... tua voz

(...)

Fecha meus olhos e me mostra o céu

Amor eu vou te buscar

Vem mentir, vem me dar a ilusão

já não vou mais, eu fico aqui

E juro não vou me embora

A amor não passou da hora

Quanto mais te ouvir mentir

Mais eu vou acreditar!

ABUSOU DO AMOR

Cupido tem a solução na mão

É uma seringa que vai lhe furar

Você vai sangrar um pouco

É pela veia que o amor vai penetrar

E quando a febre enfim chegar

Você encharca os lençóis, a sós

Vai-se revirando, a noite não tem fim

Tudo cheira a morte ali

E a dor é como um tratamento de canal

Você não enxerga que seu caso é terminal

Enlouqueceu de vez

E não sai mais dessa

O coração dispara, mesmo que não tenha pressa

Porque você errou e abusou do amor

É uma coceira que não quer parar

queima e você teima em querer coçar

E você descobre que

Sua auto-estima fez as malas e partiu

Não existe mais e ninguém sabe, ninguém viu

E se ele aparecer, não pode ser pior

fica molhada e não é só de suor

Porque você errou e abusou do amor

Você já está cansada

Você já está perdida

Você bebeu demais

A mente está comprometida

Sozinha no sofá sem saber por quê

O peso desse mundo está em cima de você

Você perdeu!

Era fagulha e transformou-se em fogaréu

Pra onde foi o azul que havia nesse céu?

Um labirinto onde você bate no muro

Correndo atrás do vento, saltando no escuro

Você não tem mais tom, você já se perdeu

A coisa entre as pernas suspirou, depois morreu

O tal do amor caiu, quebrou-se inteiro

O médico chegou, será que ele é solteiro?

Anda mal, mal, mal, desorientada

E não há retorno até o fim dessa jornada

Já foi, dançou

E abusou do amor

E abusou do amor

Abusou do amor!

Lembrança Que Não Se Apagou

 

Que barulho é esse

Que nunca quer parar?

Como a chuva a cair

E não desaparece

Escuto sem cessar

Voltei enfim ao meu lugar

Você! Você!

Onde foi que você se escondeu?

Você! Você!

Nunca mais vou me afastar

Quem me sopra o pescoço?

Afaga a minha mão

Sussurra com amor

Vem do fundo de um poço

Essa voz e essa canção

Que tantas vezes escutei

Sou eu!

(Você)

Sou eu!

(Você)

Essa música me trouxe aqui

Você! Você!

(Nunca vai se afastar)

Eu me lembro daqui

De quem é esse rosto

Que brilha ao luar

E sorri pra mim?

É um mero reflexo

Ou é ilusão?

Lembrança que não se apagou

Sou eu!

(Ah! Você)

Aqui!

(Você está aqui)

Desculpa se eu demorei

Mas a música jamais vai terminar

As cores vão voltar

E quem vai se lembrar

Sou eu!

LEMBRANÇA QUE NÃO SE APAGOU

Que barulho é esse

Que nunca quer parar?

Como a chuva a cair

E não desaparece

Escuto sem cessar

Voltei enfim ao meu lugar

Você! Você!

Onde foi que você se escondeu?

Você! Você!

Nunca mais vou me afastar

Quem me sopra o pescoço?

Afaga a minha mão

Sussurra com amor

Vem do fundo de um poço

Essa voz e essa canção

Que tantas vezes escutei

Sou eu!

(Você)

Sou eu!

(Você)

Essa música me trouxe aqui

Você! Você!

(Nunca vai se afastar)

Eu me lembro daqui

De quem é esse rosto

Que brilha ao luar

E sorri pra mim?

É um mero reflexo

Ou é ilusão?

Lembrança que não se apagou

Sou eu!

(Ah! Você)

Aqui!

(Você está aqui)

Desculpa se eu demorei

Mas a música jamais vai terminar

As cores vão voltar

E quem vai se lembrar

Sou eu!

COMPORTAMENTO DE MODELO

Pepa,

Sou eu de novo e você não me atendeu

Vou ficar louca se eu não conseguir desabafar

To com um problema no chuveiro

E não tenho muito tempo

O problema no chuveiro

É meu novo namorado, o Malik

Eu nem te conto, minha amiga, é um tesão!

Há uma semana que nós dois rolamos no colchão

Nos conhecemos na balada

Você sabe que sou muito exagerada

Não posso explicar a conexão que tivemos...

Magnética!

Eu queria apresentá-lo à minha mãe

Meu coração é uma bomba pronta pra explodir

É muito louco, porque ele é o tipo de homem que...

- Oi vó, tudo bom? Manda um beijinho pro vovô ta

Era ele!

Talvez esteja equivocada, acho até que estou

Me acha magra e tem o corpo do Jean Claude Van Damme

Eu vou ficar aqui um pouco, esperando sua chamada

Ai! Tem dó!

Pepa,

Por favor! Por favor! Por fa...

Okay, não está, mas temos que falar

Minha barriga tá doendo e me falta o ar

To no orelhão aqui da esquina

E não tenho muito tempo

Minhas fichas acabaram

Pois dei todo meu dinheiro pro Malik

E você sabe, com os homens nunca fui feliz

Mas dessa vez extrapolei, foi isso que eu fiz

Você diz que eu sou louca, mas não sou

Lembra daquela vez em que eu vi uma aranha

E você disse “não, é uma passa"

De repente deu um pulo, se arrastou para o meu lado e me picou

É muito fácil me julgar, mas você se enganou

Ainda bem que eu não comi, pois eu nunca comeria

Eu jamais gostei de passa

O que faria uma passa lá no chão?

Eu não me importo de esperar a sua ligação

Eu to no 773 e... porra, riscaram o número

E... vagina escreve com jota?

Okay! Vou desligar, ligo depois!

Pepa,

Ta bem, to quase desistindo, ão vou te encontrar

Eu vou fazer uma besteira, eu juro! Eu vou surtar!

Estou no estúdio, droga, não consigo mais me concentrar

Só penso a mesma coisa: no Malik e nessa louca relação

Eu não sei mais o que fazer! Meu deus! Que confusão!

Você diz que eu sou dramática

Mas no fundo, eu sou bem prática

E porra! Eu sou modelo!

É claro que eu tenho um sentimento mais profundo do que os outros têm

A minha vida corre risco, eu sei que eu não estou bem

Não imagina o que eu achei dentro do armário

Ai, Fernando ta aqui! Tão magrinho

E removeu aquela manchinha do nariz

Pepa

Marcos

Disse oi

Está dizendo que a sessão ainda não acabou

Uma campanha... não sei bem do quê

Mas que calor!

Fotografei com um toureiro e um buquê de flor

Meus Deus, é um horror

Por favor!

Pepa, sou eu

Anoiteceu, você não me ligou

Pepa, agora já são dez

Você cagou e andou para mim

Pepa desculpa

Estou no meio de um furacão

Soy como un gato de rua largado...

Ai que merda, meu irmão!

Vou te esperar

Pepa, meia noite, você ainda tá dublando?

Pepa, três da manhã, me liga porra

Eu jamais faria isso com você, sua traíra

Pepa, como é o nome daquele queijo que eu adoro?

Pepa, ok agora a secretária quer me ignorar

Ouve!

Pepa, eu sou carente, mas você tem que escutar

Eu derrapei na pista, já chorei mais de uma hora

Esse cara é terrorista, eu vou botar ele pra fora

Não sei cadê você, cansada de chorar

Prestes a cair, sem ninguém pra segurar

Perdida no deserto, sem ninguém pra me encontrar

Alo? Alo, Pepa?

Pepa, você ta ai?

Fala comigo por favor!

Pepa? Pepa?

Por favor!

A ILHA

O amor me levou pra uma ilha

No alto de um arranha-céu

Com gás e eletricidade

E toda cidade embaixo, a meus pés

E era um refúgio de paz

Dois a navegar, rumo ao Sul

E nossa jangada era o colchão

Na lagoa azul

Que um dia secou

Pra onde foi? Pra onde foi?

Desapareceu?

Pra onde foi o nosso amor?

Será que morreu?

Quem sabe afogado nesse pranto

Nós dois aportamos na ilha

Na terra, varanda e jardim

E agora, já em mar aberto

Você resolve livrar-se de mim

E eu tenho a sensação

De jamais tocar o fundo

De atravessar o chão

Está tudo igual

Mas nada é igual

Solidão!

Você já não está

Pra onde foi? Pra onde foi?

Desapareceu?

Pra onde foi o nosso amor?

Por que se escondeu?

Perdido por aí em qualquer canto

Dançamos na areia, abraçados

Você nunca deu um sinal

Tentei não fazer nada errado

E tudo parece tão frio e distante

Quem vive isolado no céu

Precisa de alguém

Precisa de atenção

A ilha pra dois não existe mais

E o nosso amor naufragou, então

Pra onde ir? Como seguir?

Se não há perdão?

O que fazer ao descobrir?

Não há salvação

Pra onde foi? Quero saber

Pois vou esquecer

Pra onde foi nosso tesão?

E nosso prazer?

Pra onde foi?

PRESTES A CAIR

Veja só você

O que fazer?

Ter um bebê

Você agora está perdida!

Eu já nem sei mais

Chorar! Gritar!

O medo do futuro

Está presente, anda à solta

E para tentar

Se equilibrar

Melhor tirar o salto já

Se quiser dançar

Vai se matar

Está prestes a cair

E termina assim

Sem solução

E a solidão

Aumenta se ele está por perto

Ninguém sente pena de você

Também, pra quê?

Se todos sabem, você não se importa

Quem foi que gritou?

Vamos bater

Sem freio e sem direção

E que confusão

Perdeu o chão

Está prestes a cair

Você tem medo do que está por vir

Não há degraus para descer

E as pombas não vão ajudar

Um filho nessa idade

Ele vai ter que saber por mim

Uma granada pronta pra explodir

Perdeu a voz

Perdeu o tom

Perdeu a mão

E quando você se dá conta

Já mordeu, xingou

Embaralhou

O meu, o seu

Começa a gostar da coisa

Náufraga do amor

É sem jeito! Atenção!

Faz mal pro seu cabelo afogá-lo na piscina

Não tá nem aí

Só quer dormir

De que serve um barco no fundo do mar?

E se evolui

Parou, não flui

Não vai

Você se deu mal

E quando você se dá conta

No andar mais alto

Descalça, sem salto

Você quer saber

Se a corda aguenta o seu peso

Fale com alguém

Ou não, não sei

É tão vulgar!

Não vão guardar o seu segredo

Morta ou viva

Vai saber

Ela caiu e não borrou o batom

E sem atrasar, continuar

Dançando, dançando,

Dançando, dançando.

Você vai chegar à margem, vertigem

É o fim da linha, o começo de um pesadelo

Você vai chegar à margem, vertigem

É o fim da linha, o começo de um pesadelo

Você vai chegar à margem, vertigem

É o fim da linha, o começo de um pesadelo

Prestes a cair

À margem, vertigem

Prestes a cair

À margem, vertigem

Prestes a cair

À margem, vertigem

Prestes a cair

Prestes a cair

Prestes a cair

DIA DAS MÃES

No meu quarto, sem se anunciar

Minha mãe vem, sombra do passado

Não se move e não move o ar

Suas lágrimas molham o meu rosto

Na cozinha, santa no altar

E as meias secam na varanda

Eu me lembro! Qual é a canção?

Vou cantá-la, vou cantar pra ela

Tantos sonhos que guardava ali

No seu avental de festa

No espelho, o sorriso se apagou

Vou guardá-lo também

(...)

Posso vê-la, está parada ali

Repetindo assim: as mães são para sempre!

Eu me lembro é a canção

Vou cantá-la, vou cantar pra ela

(...)

Na cozinha, santa no altar

E as meias secam na varanda

Ela canta! Qual é a canção?

Vou cantá-la, vou cantar pra ela

Posso vê-la, está parada ali

Repetindo assim: as mães são para sempre!

Eu me lembro qual é a canção

Vou cantá-la, vou cantar pra ela

ONTEM, HOJE E AMANHÃ

O amor, pra mim, é uma correnteza

Arrasta tudo o que quiser

E todo dia, com certeza

O amor vai trazer um perfume de mulher

Ontem, lembro, o sol brilhava

Verão em brasa de dias quentes

E um violão, na capela ardente

Ecoa assim

E hoje explode num tom magenta

Com a graça e cor de uma flor perfeita

Você não sabe e sequer suspeita

Que acaba assim

Pois amanhã é novo dia

Que traz surpresas pra você

Eu amo todas, sou verdadeiro

E ontem e o amanhã já...

O aqui e agora tem muita força

No olhar de corça, melancolia

Achou que o amor apaziguaria

O seu coração que

O ontem foi cheio de ternura

Mas a receita não deu tão certo

E mesmo longe, estou bem perto

Pois lembro que era...

O amanhã só quer saber

Se o amor pode salvar alguém

Eu amo todas, sou verdadeiro

Ontem, hoje e amanhã também

Lucia: bla, bla, bla, bla, bla

Paulina: bla, bla, bla, bla

Pepa: bla, bla, bla, bla

O livro do amor é grande

Três nomes eu quis escolher

Mas quem me der o telefone

Prometo não se arrepender

E sonho em ter encontros discretos

Eu e você, amantes secretos

O amor não morre, só se confunde

Tempo vai, outra vem

Ontem, hoje e amanhã também!

ENROLOU

Você já teve um dia em que nada dá certo

Um dia banal e mesquinho

E você só deseja encontrar a cabeça

Que você perdeu no caminho

E tenta seguir o roteiro

Chega cedo e é o primeiro

E na hora erra o texto inteiro

Se enrolou! Enrolou!

Essa aqui está com ele

Que esteve com ela

E agora com a advogada

Confusão pra valer

Todos vão desejar

O primeiro lugar na largada

Se o teu coração se queimou

Se o desejo te alimentou

Tantas linhas cruzadas você

Se enrolou! Enrolou!

(...)

Eu tenho a sensação de não ter mais o chão

Estou caindo

Eu não sei bem por que

Mas só gosto de homem que sai por aí explodindo

Estou sempre correndo atrás

O amor é injusto demais

Olha só, meu cabelo agora enrolou

Enrolou! Enrolou!

Eu travo a língua

Difícil pra mim é falar

Sua língua, minha língua

Desejam se entrelaçar

(...)

Eu não sei bem o que estou fazendo

Mas vejo meu plano ruindo e ruindo

E jamais fiz alarde

Eu saio bem tarde

Deixando a moça dormindo

Quando foi que a desgraça se deu?

Quando foi que um dos dois se perdeu?

Quando foi afinal que você

Se enrolou? Se enrolou!

A música, à distância

Posso ouvi-la, pois me alcançou

Ela aumenta, ela aumenta, ela aumenta

Então BAM!

Foi um caminhão que te atropelou

Você já dançou!

Você coça a cabeça e pensa no que deu errado

Você tem que escolher de que lado é melhor

Para não terminar enrolado

E concentre a sua atenção

Veja o nó que você tem na mão

A assim que você se desamarrar

Corra logo e trate de desatar

Você se amarrou

E embaralhou

Se enrolou! Enrolou!

Se enrolou! Enrolou!

Se enrolou! Enrolou!

Na hora se enrolou!

INVISÍVEL

Eu fui aquela que queriam ter

E tantos homens tive a meus pés

Porém ninguém me interessou

Eu pertencia a ele

E ele sussurrava para mim:

O amor dá rumo a quem se perdeu

Sua voz, um sopro de prazer

A única esperança

Um belo dia acordei só

Escureceu, eu estava só

Passou-se um mês e eu ainda à espera

Filho nos braços, louca de dor

Até que um dia a voz retornou:

Voltei meu amor

E foi então que eu percebi

Que ele era invisível

Como um mágico, um milagre em si

Eu não sei o seu segredo

Pois partiu, mas estava lá

Totalmente invisível

Uma ilusão, quase física

Metafísica, como a gravidade do ar

(...)

Meu bem, você precisa descansar

Falou e prometeu me visitar

E havia grades na janela

De um quarto ensolarado

O que eu queria era poder dormir

Nos sonhos tudo vai sempre tão bem

Ali, eu me perdi de vez

Não tinha mais vontade

Você acorda e um mês se foi

O tempo passa tão veloz

E não entende porque nada da certo

É tão incerto o amanhã

E todos sonhos, tantas promessa

E tudo o que quis?

E foi então que eu percebi

Que ele era invisível

Que a vida toda era invisível

Se não estava ali

Por onde poderia se esconder?

Não está à mão, nem no olhar

Um casal que dança ao luar

Flutuando, quando chega o amanhecer

(...)

A vida vai seguindo igual

Eu nunca tenho paz

Se antes me queriam

Já não me desejam mais

Achei que não podiam ver

O que era irreal

E então eu descobri

Eu percebi

Eu entendi

Eu tenho um novo dom, posso desaparecer!

Isso é mágica, eu sou fantástica!

Como num desenho animado

Posso ler mentes, mas pra quê?

Na avenida sem ninguém

Ecoam saltos altos de alguém

E o seu coração bate a mais de cem

Gritos de uma mulher que vem do além

Não! Não precisa se assustar

Pois você não vai me encontrar

Sou invisível

Desapareci no ar

FINALE

Daqui, a vista é linda

Eu sempre gostei, mas deixei de olhar

Quando ela chegar, eu vou mostrá-la

Com prazer

Um céu alaranjado

Um novo dia traz um novo sol

E as nuvens todas se parecem

São iguais

E tanta esperteza

E tanto despudor

Lágrimas caem com a chuva

São gotas de amor

Seu mundo um dia pode acabar

Você está cansada de sempre cair

Mas, se quiser, eu caio com você

Só com você

Daqui, a vista é linda

Eu posso ver o dia clarear

E tudo é diferente

Quando a luz se apaga