ESCUTAI

Deus de Israel

Deus de Israel

Escutai o clamor desse povo

Escutai, escutai, escutai

Escutai o chicote que estrala

Escutai nossas vozes, oh Deus

As areias nos ferem os olhos

Nossos corpos se curvam de dor

Vosso povo hoje é feito escravo

A erguer monumentos a deuses estranhos

Oh Deus de Israel

Tantos escravos hebreus

Se multiplicaram feito insetos

Filhos dos filhos, netos dos netos

Nós fomos longe demais

Meu exército pode conter

Quem garante, no entanto, que possa vencer?

Tantas costas suando, gargantas gritando

Algo a se pensar

Algo a se fazer?

O Vosso povo, oh Deus

Vossos escolhidos, oh Deus

Clamam sem cessar a se lamentar

Sob o sol que arde

Os nossos ombros, oh Deus

São feridas vivas, oh Deus

Nosso sangue tinge o chão

Nosso pranto já secou

Deus de Israel

Deus de Israel

Escutai o clamor desse povo

(...)

Se algum se virar contra nós

Veremos a calamidade

Eles são muitos e fortes, verdade

Nós fomos longe demais

Se unirem-se aos meus oponentes

Serão como feras cravando seus dentes

Na carne daquilo que é meu

Não dou meu Egito a um rebanho hebreu

(...)

Está pra nascer quem irá me enfrentar

Ou melhor: se nascer, morrerá!

Os nossos filhos, oh Deus

Nossos inocentes, oh Deus

Os nossos filhos, oh Deus

Nossos inocentes, oh Deus

(...)

Os nossos filhos, oh Deus

Nossos inocentes, oh Deus

Sangue derramado, oh Deus

São nossas crianças, oh Deus

Vinde em nosso auxílio, oh Deus

Enviai um salvador

PELAS MÃOS DE DEUS


A mão da lei feroz

Me arranca o coração

E aponta a sorte atroz

Da nossa condição

Meu colo pode ser fatal

E nada posso contra quem lhe quer mal

Os nossos filhos, oh Deus!

Nossos inocentes, oh Deus!

Não há lugar seguro

Pra nos resguardar

Não vai haver futuro

Se você ficar

As águas vão correr

O rio vai levar

A mão de Deus vai lhe guiar

As águas vão correr

O rio vai levar

A mão de Deus vai lhe guiar  

Que minha mãe tenha razão

Que Deus conduza em paz meu irmão

Tão precioso a nós ele é

O rio avança, é preciso ter fé

Pois Deus conduzirá

Hei de ter confiança

Nossa linda criança

O tesouro levado de nós

Segue na correnteza veloz

Pelas mãos de Deus

(...)

O meu desejo se realizou

Nas águas sagradas do Nilo

Não chore mais

Meu amor lhe amparou

Meus braços lhe dão asilo

Os deuses trouxeram aqui

O filho que sempre pedi

Pelas águas através...

Há de se chamar Moisés

(Há de ser assim)

O tesouro enviado pra mim

(Há de ser assim)

Maior dos sonhos meus

Pelas mãos de Deus

HOJE VOLTA PRA MIM

O rio levou

E a mim regressou

Meu filho de volta pra mim

A mão que guiou

Me presenteou

Foi a mão de Deus

Há de ser assim

OUTRO LAR

Meu menino hoje tem outro lar

Em outra casa ele tem seu lugar

Sua lembrança eu guardo em meu seio

Minha criança, o Deus em que creio

Lhe conduzirá, num caminho seguro

Para um lindo futuro

Ó tesouro nascido de mim

Há de ser assim

Vai, pelas mãos de Deus

DIVINA ESPOSA


Prometida ao herdeiro

Eis minha vontade

Escolhida do primeiro

Pela eternidade

Nossos frutos vão reinar

Destino já traçado

Nossa história a perdurar

Dois tronos, lado a lado

Muito me honra, gentil soberano

Muito me honra cumprir vosso plano

Serei sol, serei Deus vivo

Você comigo estará

Vou governar com cetro altivo

Divina esposa, assim será

(...)

Que tolice acreditar

Desejar que fosse minha

Impossível evitar

Seu futuro é ser rainha

Ele tem o que quiser

Sempre teve, é o sucessor

Mesmo a mais linda mulher

Se ele quer, quem vai se opor?

Pudesse eu ser sua, assim seria

Sempre a você minh’alma pertenceu

A verdadeira honraria

seria estar ao lado seu

O príncipe já escolheu

Quisera fosse um sonho

Eu queria acordar contigo!

Pudesse eu ser seu (sua), assim seria

Sempre a você minh’alma pertenceu

(Serei sol! Serei Deus vivo)

Você comigo estará)

Divina esposa

Divina esposa

Divina esposa

Assim será!

NÃO MAIS QUE UM HOMEM

Sangue, coração

Palácio, escravidão

Sempre dividido

Em cada punição

Castigo ou aflição

Também sou ferido

Isso explica o meu tremor

Ao ver o mais fraco sofrer

Sinto em mim o mesmo padecer

Isso explica a minha dor

Ao buscar compreender

Quem sou eu?

Quem sou eu?

Quem sou eu, não mais que um homem

Entre egípcios e hebreus

Os tormentos me consomem

Quero estar perto dos meus

Encontrar o meu destino

Um caminho pra trilhar

Quem sou eu, não mais que um homem 

Que há de se encontrar

Um homem que há de se encontrar

(...)

Hoje regressa à casa sua

Vem pelas mãos

Pelas mãos de Deus

A alegria se perpetua

No coração dos seus

Esperou minha chegada

Esse povo que é meu

Eu retorno à morada

De quem nunca me esqueceu

Dá razão à minha vida

Dá coragem pra lutar

Quem sou eu, não mais que um homem

Que há de se encontrar

Quem sou eu, não mais que um homem

Que há de se encontrar

QUASE UM FILHO

Não mais que um homem

Não mais que um homem

Assassinou um de nós

Que venha a fúria do algoz

Seja condenado à morte

Não mais que um homem

Não mais que um homem

Que venha a espada cruel

A amargura do fel

Seja condenado à morte

(...)

(Não mais)

Para punir seu delito

(Não mais)

Todos os deuses do Egito

Vão perseguir

(Vão perseguir)

Despedaçar

(Despedaçar)

De quase filho a renegado

Quero esse mal por mim criado

A se consumir, a se acabar

(Não mais)

Não mais que um homem

(Não mais)

Não mais que um homem

Assassinou um de nós

Que venha a fúria do algoz

Seja condenado à morte

Não mais que um homem

Não mais que um homem

Que venha a espada cruel

(Seja condenado)

A amargura do fel

(Condenado à morte)

Seja condenado à morte

Não mais que um homem

Não mais!

NÃO MAIS QUE UM HOMEM (PARTE 2)

Não mais príncipe ou escravo

Nem egípcio, nem hebreu

Qual o rumo a ser tomado

Se o deserto, enfim, sou eu?

O meu peito está sedento

Feito o chão desse lugar

Não há trégua, nem alento

Meu destino é caminhar

O meu peito está sedento

Feito o chão desse lugar

Não há trégua, nem alento

Meu destino é caminhar

BASTA ESCOLHER

Não importa de onde vem

Chegou no momento certo

Sua vinda nos convém

É bom ter você por perto

As ovelhas carecem de cuidados

Minhas filhas precisam de noivado

Sou hospitaleiro, bom anfitrião

Esse estrangeiro pode ser a solução

Que rapaz afável, moço encantador

Ele é adorável, ele é um amor

Lancem seus olhares, mostrem ter valor

Mas não sejam vulgares, por favor

Não se sinta pressionado

Mas são tempos propícios

Todo homem bem casado

Tem muitos benefícios

E você pode escolher

Qual de nós prefere desposar

Jetro para as filhas

(Meninas, silêncio!)

E você pode escolher

Qual delas prefere desposar

Todas são amáveis, pode perceber

(Zípora! Sorria!)

Sim!

Todas são amáveis, pode perceber

Basta escolher

(Basta me escolher)

Basta escolher

Basta escolher

Basta apenas escolher

Basta apenas escolher

Pras ovelhas, pasto tenro e saboroso

Para mim só quero um genro afetuoso

Que seja gentil e trabalhador

Que trate as ovelhinhas

E a filhinha escolhida com amor

Uma de nós já foi escolhida

Uma só de nós vai se arrumar na vida

Ele escolheu aquela aquela que quis

Basta escolher e ser feliz

Basta escolher e ser feliz

NO POÇO TE ENCONTREI

Cansada de esperar

De errar e de em vão tentar

Uma voz eu ouvi

Uma voz eu ouvi

Tornaste o meu deserto um jardim

No poço te encontrei

E sede nunca mais senti

Eu devo tanto a ti

Eu devo tanto a ti

Farei do teu deserto um jardim

Abraça-me

(Abraça-me)

Contigo irei ao altar

Lutar, sacrificar

Vencer, recomeçar

Farei do teu deserto

Farei do teu deserto

Um jardim

UM LIBERTADOR

Escutai, oh Deus, nosso clamor

Vosso povo não suporta mais tanta dor

Findai o nosso exílio, dai-nos direção

Vinde em nosso auxílio com libertação

Neste cativeiro estamos sós

Eis um povo inteiro, oh Deus, clamando por vós

Dai-nos liderança, Deus de Abraão

Renovai a nossa fé trazendo o fim da escravidão

Escutai, escutai esse nosso clamor

Enviai, enviai um libertador

Já são tantos anos, tantas gerações

Tantos desenganos, tantas provações

Socorrei o vosso povo, Deus dos nossos pais

Já não suportamos mais

Escutai, escutai esse nosso clamor

Enviai, enviai um libertador

Escutai, escutai esse nosso clamor

Enviai, enviai um libertador

Escutai nosso clamor

Enviai a nós um libertador

EIS O MEU PAPEL


Eu estou aqui

Já compreendi

Sei que está comigo, de verdade

Ele planejou

Me escolheu, eu vou

Conduzir meu povo à liberdade

Ele vai guiar

Me capacitar

Vai ser meu escudo na batalha

Vai me ensinar

Ouço Ele falar

Ele pode tudo e nunca falhará

Ele pode mais

Vejo seus sinais

Minha segurança e meu guia

Quando escurecer

Faz o sol nascer 

E enche de bonança o novo dia

Me fortaleceu

Novo ardor me deu

Me elevou do chão pela sua mão

Eu nasci de novo

Deus de Israel

Eis o meu papel

Sou libertador do vosso povo

Ele vai guiar

Me capacitar

Vai ser meu escudo na batalha

Vai me ensinar

Ouço Ele falar

Ele pode tudo e nunca falha

Pode tudo e nunca falha

Pode tudo e nunca falhará

FILHO AMIGO IRMÃO

São fortes nossos laços

Grande é nosso amor

Vem dos nossos braços o libertador

Exulta casa nossa

Filho, amigo, irmão

Nosso Deus lhe possa estender a mão

São fortes nossos laços

Grande é nosso amor

Vem dos nossos braços o libertador

Exulta casa nossa

Filho, amigo, irmão

Nosso Deus lhe possa estender a mão

O meu filho muito amado

A estrela do meu céu

Traz na mão o seu cajado

Conduzindo Israel

Quem nos traz tanta felicidade

É aquele a quem Deus escolheu

Quem trará para nós liberdade

Como Deus prometeu

São fortes nossos laços

Grande é nosso amor

Vem dos nossos braços o libertador

Exulta casa nossa

Filho, amigo, irmão

Nosso Deus lhe possa estender a mão

Como Deus prometeu

(São forte nossos laços)

A quem Deus escolheu

(Grande é nosso amor)

Minha estrela do céu

(Casa nossa, filho, irmão)

Conduzindo Israel

PODE VIR

Traz de volta velhos dias

Em que era meu irmão

Novos tempos, alegrias voltarão

Te darei lugar ao lado

Seus conselhos hei de ouvir

Junto ao rei, será honrado

Pode vir!

Criei como se fosse meu

Vivi pra vê-lo outra vez

Presente que o Nilo me deu

Grande bem que a vida me fez

Jamais esqueço seu calor

Calei no peito o bem querer

É maldade rever esse amor

Que vivi pra esquecer

Eis que o melhor vem no fim

Volta aos meus braços assim

Os deuses zombam de mim

Pode vir!

Pode vir!

PROTETORES DO EGITO

Único deus? Apenas um?

Isso pra nós é incomum

Um deus sem rosto pra ser exposto

Qual seu poder?

Qual seu poder?

Nós temos signos de valor

São todos dignos de temor

Sólidos vultos

Prestamos culto

Aos deuses maiores que se pode ter

Hórus, Serket, Atum, Sobek

Néftis, Bast, Nut, Sekhmet

Tefnut, Hátor, Wadjet, Taweret

Heket, Thot, Shu, Nekbeth, Seth!

(…)

Mágica simplória

Truque bem vulgar

Que impressiona sua escória

Impossível comparar

Com nossos deuses majestosos

Esculpidos em granito

Grandes, poderosos

Protetores do Egito

Para a gente hebreia

É fascinante, certamente

Mas nossa plateia

É bem mais exigente

Transmutações são normais

São banais, podem mais

Nossas divindades

(...)

Deuses de imenso poder

Pode crer, venha ver

Temos quantidades

Hórus, Serket, Atum, Sobek

Néftis, Bast, Nut, Sekhmet

Tefnut, Hátor, Wadjet, Taweret

Heket, Thot, Shu, Nekbeth, Seth!

(…)

Hórus, Serket, Atum, Sobek

Néftis, Bast, Nut, Sekhmet

Tefnut, Hátor, Wadjet, Taweret

Heket, Thot, Shu, Nekbeth, Seth!

Deuses majestosos

Esculpidos em granito

Grandes, poderosos

Protetores do Egito

ETERNA DOR

Deus de Israel!

Deus de Israel!

Libertai vosso povo que sofre

Libertai

Libertai

Libertai

Levantamos aos céus nossas vozes

Libertai vosso povo, oh Deus

Nossas mãos calejadas erguemos

Implorando por libertação

Até quando as espadas e lanças do Egito

Trarão sofrimentos ao povo de Deus?

Heket, Thot, Shu, Nekbeth, Seth!

Deuses majestosos

Esculpidos em granito

Grandes, poderosos

Protetores do Egito

DEZ PRAGAS

O Deus de Israel

É quem fala por mim

Deixa meu povo ir

Não temo outros Deuses

E povos, enfim

Jamais hei de permitir

(...)

Sangue, sangue, sangue

Vermelho, o rio se tingiu

Em sangue a borbulhar

A desventura nos cobriu

Má sorte a nos rondar 

Cruel sinal! O que virá?

Oh, Deuses venham ver

O Nilo em sangue

Venham já

Nos socorrer

(...)

Nos dê liberdade

Nos deixe partir

Senão muito mais virá

Não tenho vontade

Não vou consentir

Seu povo fica onde está

(...)

Proponho que peça ao seu Deus

Que cesse o tormento dos meus

Que possa das rãs nos livrar

Se a situação melhorar

Pode ter como certo

Que irão ao deserto

Prestar sacrifícios

Ao Deus dos hebreus

Deus de Israel

Deus de Israel

Acalmai vossa mão sobre o Egito

(...)

Nos dê liberdade

Nos deixe partir

Senão muito mais virá

Não tenho vontade

Não vou consentir

Seu povo fica onde está

(...)

Moscas se agitam no ar pestilento

Que os Deuses permitam o fim do tormento

(...)

Morre nosso gado

Toda criação

Povo castigado

Em toda região

Morre meu rebanho

Cresce o meu temor

Frente a um Deus estranho

Escondo o meu pavor

(...)

Estamos em feridas

Sangue, chagas, pus

Nossa gente a quase nada se reduz

Mostrem seu poder e o inimigo cairá

Isis, Osiris, Anúbis e Ptah

Mostre ao deus Hebreu

Oh grande Amon-Rá

Que outro deus maior não há

(...)

Liberta esse povo

E o tormento tem fim

Senão muito mais virá

Não temo outros Deus

E povos, enfim

Esse povo fica onde está

(...)

Gelo desce dos céus, fulmina

As plantações. Ruína!

E nossos Deuses não querem nos ouvir

Deuses majestosos

Esculpidos em granito

Grandes, poderosos

Protetores do Egito

Os Deuses não ouvem

Os Deuses não ouvem

O que virá?

O que virá?

Implorem

Hão de escutar

Imporem

Basta implorar

Implorem com fervor

Implorem com fervor

Hórus, Serket, Atum, Sobek

Néftis, Bast, Nut, Sekhmet

Tefnut, Hátor, Wadjet, Taweret

Heket, Thot, Shu, Nekbeth, Seth!

Liberta esse povo, Ramsés

(Liberta)

Que partam daqui com Moisés

(Liberta)

Pra nosso flagelo cessar

(Liberta)

Os nossos deuses não vão escutar

Liberta

Liberta esse povo, Ramsés

(...)

Nuvens de gafanhotos comem

O que restou. Consomem!

E nossos Deuses não querem nos ouvir

Escuridão, escuridão

Nosso sol se apagou

(...)

Liberta esse povo, Ramsés

(Liberta)

Que partam daqui com Moisés

(Liberta esse povo)

Pra nosso flagelo cessar

Os nossos deuses não vão escutar

(Liberta esse povo)

Liberta esse povo!

(...)

Lágrimas de mãe

Afogam a nação

Pranto a transbordar

Torrente, aluvião

Noite em que a morte veio

Levando de cada seio

O mais precioso fruto

Oh, dor! Oh, dor!

Lagrimas de pai

Pra sempre a derramar

Fomos incapazes

Contra quem lutar?

Noite em que veio a morte

Não há o que nos conforte

Que seja eterno luto

Oh dor, eterna dor

Eterna nossa dor

NOVA VIDA

Ele ouviu nossa oração

O clamor por libertação

Se cumpriu sua promessa, sim

Nos livrou da escravidão

Conduzidos por sua mão

Novo tempo já começa, enfim

Nosso rumo ele vai mostrar

Juntos a caminhar

Para a nova vida que ele traz

O milagre se fez real

Nos libertou do mal

Maravilhas ele fez

(Maravilhas ele fez)

Maravilhas ele faz

Quem tanto sofreu

Já pode sorrir

Vitória nos deus

Vida nova há vir

Muito mais nos dará

Ele fez e fará

Sobre nós nosso Deus está

Maravilhas ele fez

(Maravilhas ele fez)

Maravilhas ele faz

(Maravilhas ele faz)

Quem tanto sofreu

Já pode sorrir

Vitória nos deus

Vida nova há vir

Muito mais nos dará

Ele fez e fará

Sobre nós nosso Deus está

Quem tanto sofreu

Já pode sorrir

Vitória nos deus

Vida nova há vir

Muito mais nos dará

Ele fez e fará

Sobre nós nosso Deus está

Muito mais ele dará

Ele fez, ele fará

Sobre nós nosso Deus está

Nosso Deus está

PRESENTE DE VINGANÇA


Escravos protegidos de um Deus forte

Trouxeram para o Egito a dor e a morte

Que faz um soberano coroado

Diante de um império abandonado

Por deuses que não ouvem sua voz?

Quem é você?

Um fraco segurando a nobre espada

Viu tudo se acabando e não fez nada

O que você deixou pra eternidade

Além de presunção e de vaidade?

O sol, glória do Egito se apagou

Você falhou

Nem um monumento há de restar

É nome que o vento há de levar

Acabou, fracassou

Como todo pobre que fracassa

O esquecimento é seu lugar

Sei que seu tormento não vai cessar

Acabou, fracassou

Mergulhou seu nome em desgraça

(...)

Vai! Revive a antiga glória refulgente

Converte em sangue toda aquela gente

Não tenha piedade ou compaixão

Vai! E leva meu presente de vingança

Ao Deus que assassinou minha criança

Esmague os inimigos aos seus pés

E só retorne após a morte de Moisés

MAIOR QUE A MORTE

Lágrima de rei

É lagrima comum

Em pranto, fracassei

Um homem, sou mais um

Finjo ser maior que a morte

Finjo parecer mais forte

Que seja eterno luto

Oh dor, eterna dor

BEZERRO DE OURO

Tragam ouro, todo ouro

Que se tenha guardado

Para erguer o Deus vindouro

Que há ser adorado

Traga lenha e acenda a chama

O calor transforma o metal

Essa noite a caldeira inflama

Vai se erguer, afinal

Um Deus animal

Este é teu Deus, oh Israel

(Nosso Deus! Nosso Deus)

Que nos tirou do Egito

(Nosso Deus! Nosso Deus)

É dele a nossa existência

(Nosso Deus!)

Prestai toda reverência

(Nosso Deus!)

Pois este é teu Deus, Israel!

(Nosso Deus!)

É dele a nossa existência

(Nosso Deus!)

Prestai toda reverência

(Nosso Deus!)

Pois este é teu Deus, Israel!

(Nosso Deus!)

OS DEZ MANDAMENTOS


Eis do nosso Deus estes mandamentos

Que hão de ser modelo pra nossa vida

Ouçam do Senhor os ensinamentos

Caminhando juntos à Terra Prometida

Se ele quer

Mil desertos vou vencer

Se ele quer

Forte vou permanecer

Vai comigo caminhar

Onde eu estiver, meu Deus estará

Se ele quer

Eu desvendo o horizonte

Se ele quer

Não há nada que amedronte

Se ele quer, eu digo sim

Ele sabe o que é melhor pra mim

Quem tanto sofreu

Já pode sorrir

Vitória nos deus

Vida nova há vir

Muito mais nos dará

Ele fez e fará

Sobre nós nosso Deus está

Ele vai guiar

Me capacitar

Vai ser meu escudo na batalha

Vai me ensinar

Ouço Ele falar

Ele pode tudo e nunca falha

Pode tudo e nunca falha

Pode tudo e nunca falhará

Deus de Israel!