TRADIÇÃO

Tradição, tradição... Tradição!

Tradição, tradição... Tradição!

(...)

Quem noite e dia

Luta como um touro

Pra manter a casa

Filhos e mulher

E quem na família

Vai dizer que não

No coração dizendo sim

O pai, o pai... Tradição!

O pai, o pai... Tradição!

Quem transforma a casa em um doce lar

Um lar em paz, a vida em paz

Quem educa os filhos e ajuda o pai

Que lê o santo livro e vai rezar

A mãe, a mãe... Tradição!

A mãe, a mãe... Tradição!

Na escola cedo eu ingressei

E cedo eu aprendi

Que eu vou casa com alguém

Que eu nunca vi na vida

Os filhos, filhos... Tradição!

Os filhos, filhos... Tradição!

E quem a mãe então

Prepara pra casar

E ensina a ser esposa

De quem o pai mandar

As filhas, as filhas... Tradição!

As filhas, as filhas... Tradição!

CASAMENTEIRA

Casamenteira eu quero casar

Acha o meu bem

Faz o meu par

Casamenteira procura pra mim

E reza pra não errar

Casamenteira eu já tenho até véu

Falta dizer

Que o noivo é meu

Anda depressa que eu quero assistir

A inveja que vão sentir

Papai quer que seja sábio

Mamãe quer com dinheiro e verniz

Pra mim, bem

Eu quero apenas

Que seja bonito e eu serei feliz

Casamenteira eu quero casar

Acha o meu bem

Faz o meu par

Pra que eu não sobre sozinha no fim

Descobre esse alguém

Só pra mim

(...)

Hodel, menina

Seu noivo eu achei talvez

É lindo, é jovem

Só tem sessenta e três

Mas é um achado

Que sorte, é? É!

Você vai ser feliz, sim

Mas mesmo se não for

Irá sobreviver

Pra que sofrer?

Chava, querida

Chegou seu amor, meu bem

É lindo, é forte

E pesa mais de cem

Mas é um achado

Que sorte, hein? Hein!

Tem fama de nervoso

Vai sempre te espancar

Até você, quem sabe

Se acostumar

Você sonha com um Romeu

Bom, eu hei de achar algum

Mas você não tem terra

Não tem um tostão

Agarra qualquer um!

Casamenteira não tem que correr

Posso esperar

Até crescer

Não se rejeita o que pode acabar

A sorte não vai voltar

Mas calma

Vai com cuidado

Com jeito

Vai chegar o melhor

Não é que eu esteja com medo

Mas é que eu to... Com pavor!

Casamenteira eu posso esperar

Não vou fugir

Pode apostar

Cuida de quem ta beirando encalhar

E esquece de mim

Deixa eu aqui

Deixa pra lá

Deixa eu crescer

Que alguém vai aparecer

AH, SE EU FOSSE RICO

Ah, se eu fosse rico

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Eu passava o dia no bem bom

Se eu tivesse o meu milhão

Eu não dava duro

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Ah, se eu fosse rico como um rei

Eu não trabalhava como um cão

A minha casa lá no alto da rua

Pro povo todo admirar

É, todo mundo olhando pro meu portão

Com uma escada linda só pra subir

E outra descendo pro porão

E mais uma só pra ostentação

O meu quintal tem tanto pato e galinha

Ah, não param de gritar

Todo dia avisam que o sol nasceu

E é um tal de quack, cocó, popópopó

Um coro que parece anunciar

Que o dono do quintal enriqueceu

Ah, se eu fosse rico

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Eu passava o dia no bem bom

Se eu tivesse o meu milhão

Eu não dava duro

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Ah, se eu fosse rico como um rei

Eu não trabalhava como um cão

A minha esposa, Golda

Sempre com um sorriso assim

Feito dona de pensão

Mal serviu o almoço

E já tem jantar

Fazendo planos pra

Nossa ceia com quitutes

Ah, quanta carne e quanto pão

Dúzias de empregadas pra ajudar

E a vizinhança vem bater

Na porta atrás de mim

Pra pedir os meus conselhos

E eu ouvindo a multidão

Por favor, seu Tevye

Diz pra mim, seu Tevye

E eu prometo meditar na solução

La-ra-ri-ri

La-ri-ri-la

E no fim não faz diferença

A bobagem que eu falar

Gente rica sempre tem razão

Se eu fosse rico assim

Com tempo pra mim

Eu ia rezar e meditar

Entrar na sinagoga e não mais sair

Pra discutir o grande livro sagrado

E com o rabino conversar

E perder a hora de dormir

Ah, se eu fosse rico

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Eu passava o dia no bem bom

Se eu tivesse o meu milhão

Eu não dava duro

Dada did dido dido

Dada dido dido dam

Deus de toda força e do perdão

Que fizeste a luz e a escuridão

Vê se encontra aí uma solução

E me entrega o meu milhão!

ORAÇÃO DO SHABAT

Deus de toda força e bondade

Possa proteger e guardar

Casa filho seu

De toda privação livrar

Seja cada qual conduzido

Pela mão sagrada de Deus

A não se perder

E não se emaranhar nos breus

Abençoa

E faça viver

Ilumina sempre o que é melhor em nós

Boa filhas

E esposas leais

Venham bons maridos pra cuidar de vós

Deus de toda força e bondade

Possa aliviar toda a dor

E na escuridão

Ensine a ver o sol

Quem mora em todos nós

Amém

À VIDA

Brindar, brindar à vida

À vida, à vida, brindar

Um brinde ao pai que eu lutei pra ser

À esposa e à mulher

É preciso brindar, brindar à vida

À vida, à vida, l’chaim

A vida nem sempre é pródiga

Mas é uma dádiva

É preciso brindar

Deus quer todo mundo rindo

Mesmo quando a vida

Dá um safanão

Hoje a sorte está ajudando

Pois bateu na porta

Trouxe um presentão

Brindar, brindar à vida

À Tzeitel, minha filha

Meu bem

Por isso vamos comemorar

Vamos bebemorar

Bebam todos também

(...)

Ao noivo

E ao Tevye

À noiva, à filha

Meu bem

E que o futuro nos dê bem mais

Fique o pior pra trás

Bebam todos também

L’chaim, à vida

À vida, à vida, l’chaim

O casamento é consagração

A vida tem razão

Vamos todos brindar

E mais um gole

E antes que eu me enrole

Vamos celebrar a sorte desse pai

Se a vida dele foi brindada

Mais uma rodada

Pois a nossa também vai

À nós e à nossa sorte

Saúde pra todos, pra mim

Mas e se a sorte esquecer de nós

Quem vai beber por nós?

Nós bebemos e fim!

(...)

Zavacha Zdarovia

Deus proteja os dois nasdrovia

Dê saúde a todos e vivamos em paz

Zavacha Zdarovia

Deus proteja os dois nasdrovia

Dê saúde a todos e vivamos em paz

Hey!

E que a vida traga mil razões pra celebrar

Cada dia seja mais um dia pra brindar

Zavacha Zdarovia

Deus proteja os dois nasdrovia

Dê saúde a todos e vivamos em paz

MONÓLOGO DE TEVYE

Foi uma jura de amor

Mais essa! Absurdo

Foi uma jura de amor

Lunáticos!

Onde vocês estão?

Em Moscou?

Em Paris?

Onde é que os dois estão?

Na América?

Um pobre de um alfaiate

Sem posses, sem nada

Quem você pensa que é

Rei Salomão?

As coisas não são assim

Não mesmo, não são!

Eu não vou deixar

A resposta é não

Tradição!

Quem determina o casal

É o pai

Essa é a vida real

Quem não seguir

Vai se esfolar

E isso não vai parar

Onde que isso vai parar?

(...)

Foi uma jura de amor

Mais essa! Absurdo!

Foi uma jura de amor

Lunáticos!

Mas ela não pensa assim

Seus olhos, seu rosto

Eu vejo no seu olhar

Um sonho

Tradição!

MILAGRE DOS MILAGRES

Glória das glórias

Mágica das mágicas

Eis que um milagre aconteceu

Deus, como sempre

O mágico dos mágicos

Pelo fraco intercedeu

Glória das glórias

Mágica das mágicas

Quem nada tinha, agora tem

Deus, como sempre

Revelou e transformou

Do mais pobre fez alguém

A bíblia não mentiu jamais

Em suas páginas

São tantos milagres

Que ele fez e faz

E eu sou a prova também

E entre tantas almas no jardim

Não é que Deus se lembrou de mim

E não é que em meio à multidão

Deus bateu no meu portão

Graça das graças

Mágica das mágicas

Um alfaiate conseguiu

Foi pela mão do mágico dos mágicos

Que pra ele o céu se abriu

E nada escapa ao grande Deus

Em sua glória

São tantas as graças que ele concedeu

Que ninguém pode contar

Mas em meio a tanta inspiração

A mais perfeita consagração

Foi que Deus num gesto fez assim

E entregou você pra mim

O SONHO

Eu vou abençoar

Mazeltov, mazeltov

Netinha vai casar

Mazeltov, mazeltov

Mais um casal se uniu

A porta então se abriu

E um alfaiate entrou

(Alfaiate?)

Ele é um bom rapaz

Mazeltov, mazeltov

Tão sério e tão capaz

Mazeltov, mazeltov

Mais um casal feliz

Pois o destino quis

E o alfaiate chegou

(...)

A senhora disso errado

Vovozinha

É açougueiro o noive

E não sabe costurar

Não, não!

É alfaiate, Tevye

Meu netinho

A filha vai casar, eu sei

Com aquele que eu sonhei

E eu sonhei assim

Mazeltov, mazeltov

Apareceu pra mim

Mazeltov, mazeltov

Os noivos no altar

Formando um lindo par

E o alfaiate casou

(...)

A gente já espalhou

Pra todo mundo

Que o açougueiro é o noivo

E não tem como escapar

Não, não, não, não!

Você falou pra todo mundo, burro

Então escuta aqui: problema seu

O alfaiate é sonho meu

Um casamento assim

Mazeltov, mazeltov

É fruta no capim

Mazeltov, mazeltov

Mais um casal feliz

Pois o destino quis

Foi a vovó que sonhou

Foi a vovó que sonhou

Foi a vovó que so...

Shhhh!

Ah!

Quem vem lá?

Quem vem lá?

Vejam bem

Quem? Quem? Quem? Quem?

Quem é a mulher

Que vem se aproximando?

Quem será?

Quem?

Ai de mim

Será?

Ela ta chegando!

Ela vem aí

Vem como um furacão

Vem da tumba, vem

Do outro mundo, sim

Fruma-Sarah, Fruma-Sarah

Fruma-Sarah, Fruma-Sarah

Fruma-Sarah, Fruma-Sarah

Fruma-Sarah, Fruma-Sarah

Tevye! Tevye!

Que conversa é essa

De casar com meu marido

(Seu marido)

Sua filha ta de olho

É no meu açougue

(No açougue)

Ou você não pensa

Nos meus nobres sentimentos

(Sentimentos)

Eu não quero nem pensar

Em outro em minha tábua

(Sua tábua)

Ponha-se no meu lugar

E a sua filha bota a mão no meu

No meu balcão... Meu salsichão

É tudo meu, só meu!

Ela ta querendo apenas

O que era seu

(Meu!)

Sim

(Meu!)

(Meu!)

É

(Meu!)

Seu

Tevye!

Olha, me admira muito

Um homem tão vivido

(Tão vivido)

Não pensar que não

Se brinca assim com um defunta

(Com a defunta)

Diga que não dar benção

Pra essa maluquice

(Maluquice)

Ou já pode ir contando

Com as conseqüências

(Conseqüências)

Shhhh!

Se Tzeitel insiste em casar

Já vou avisar

À linda pombinha

Três semanas depois

Vou aparecer

E vou botar as mãos

No pescoço dela

No pescoço dela

No pescoço dela

No pescoço dela

Eis o que eu prometo

Se essa doida me enfrentar!

(...)

A benção já chegou

Mazeltov, mazeltov

Como a vovó falou

Mazeltov, mazeltov

Na mesa do jantar

Já tem mais um lugar

E o alfaiate sentou

E Deus assim o quis

Mazeltov, mazeltov

Família ta feliz

Mazeltov, mazeltov

O açougueiro então

Saiu pelo portão

E o alfaiate chegou

E o alfaiate entrou

E o alfaiate sentou

E o alfaiate ficou

NASCENTE, POENTE

Lá vai a moça que eu mimava

Lá vai o moço do portão

Ontem os dois brincavam juntos

Hoje não

Ela cresceu e eu não sabia

Ele notou o que eu não vi

Foi tudo tão depressa

E eu perdi

Anoiteceu

Amanheceu

No nosso quintal

Ontem o que era só semente

Hoje amanhece girassol

Anoiteceu

Amanheceu

A vida seguiu

E sempre veio primavera

Quando o inverno já dormiu

Quais as palavras que eu preciso?

O que é que diz um velho pai?

Há tanta coisa aqui no peito

Que não sai

Os dois tão simples e tão juntos

Felicidade não tem fim

Será que a vida vai lembrar de mim?

Anoiteceu

Amanheceu

A vida seguiu

E sempre veio primavera

Quando o inverno já dormiu

HOJE EU TENHO VOCÊ

Eu sempre acreditei

Que eu era tão feliz

E tinha tudo pra ser

A vida só me deu

E nada mais eu quis

Mas hoje eu tenho você

Você prova que eu não sabia

Que muito mais cabia em mim

E agora você chegou

E a vida revelou

Que o mundo é muito maior

Bem mais do que eu aprendi

E o que eu sabia de cor

Eu nem sonhava

Que viria alguém

Curar minha dúvidas

Isso e mais além

Eu na sombra nem sonhei

Com esse amor

Nós sem certezas

Sobre o que virá

Eu com você

Toda casa é nosso lar

Tudo em nossas mãos será

Luz e calor

Você prova que eu não sabia

Que muito mais cabia em mim

Sim!

E agora você chegou

E a vida revelou

Que o mundo é muito maior

Bem mais do que eu aprendi

E o que eu sabia de cor

(...)

Bem mais do que eu aprendi

E o que eu sabia de cor

A RECLAMAÇÃO DE TEVYE

Mas eu não quero escutar

A benção?

Pra que?

Se vão passar sobre mim

Sem dúvida

Ao menos Tzeitel e Motel

Pediram, imploraram

Mas esses não querem saber

Estão prontos!

Então pra que perguntar?

Pra que?

Por que?

Não percam mais tempo

E esqueçam de mim

Tradição!

Não querem saber se eu concordo

Se o pai

Se o pai deve ser consultado

Eu já cedi

Foi só uma vez

Mas vejam vocês

(...)

E vão passar sobre mim

Mais essa! Absurdo!

E querem benção pra que?

Lunáticos!

Eu vou trancá-la no quarto

Não posso, mas devo

Mas ela é só amor

Por ele

Tradição!

VOCÊ ME AMA?

Você me ama?

Como assim?

Você me ama?

Se eu te amo?

Nossas filhas se casando

Na cidade, confusão

Pra você é demais

Vai deitar, come um pão

Quem sabe é só uma gripe

Golda, eu te fiz uma pergunta

Você me ama?

Bobalhão!

Eu sou

Mas você me ama?

Se eu te amo?

São anos lavando roupa e chão

Cozinhei, costurei

Eu te dei filhos, por favor

Que conversa é essa agora?

Que historia é essa de amor?

Golda, no nosso casamento

Foi que eu te conheci

Eu tremi

Eu gelei

Eu nervoso

E eu não sei?

Nossos pais nos prometeram

Que o amor viria aos poucos

E então agora, Golda

Você me ama?

Ai meu Deus

Responde

Você me ama?

Se eu te amo?

São anos te ouvindo me chamar

Praguejar, reclamar

Anos deitada ao lado teu

Que amor maior que o meu?

Então ama?

Vou fazer o que?

Pois eu só faço amar você

É tanto tempo já

Mas mesmo assim

É tão doce saber

Saber que sim

O RUMOR

O tal do Perchick

Aquele louco

O tal que fez aquilo

Dançou no casamento

Dançou com a irmã da noiva

Pois bem, é esse mesmo

Bom, esse tal de Perchick

Está preso em Kiev

Preso!

Sim!

Mirala, Mirala

Você não sabe da última

O tal do Perchick

Aquele louco

O tal que fez aquilo

O que dançou com a Hodel

Bom, pois agora a Hodel

Está presa em Kiev

Não!

Que horror! Que horror!

Mendel

Você já sabe, o Perchick

O louco de Kiev

O tal que fez aquilo

Dançou no casamento

Pois eu ouvi

Que a guarda veio aí

Prenderam o alfaiate

Não!

Em Kiev!

Rabino, rabino

O tal do Perchick

O louco radical

Bateu no pobre Tevye

Bateu?

Depois dançou com a Golda

Hã?

Pois eu ouvi

O que?

Que o Tevye ta de cama

E a Golda foi pra Kiev

Não!

Deus do céu!

A Golda?

Foi sim!

Que coisa horrível, horrível

O tal do Perchick

(Sim)

No fundo ele é culpado

(Hã?)

Eu sei porque uma fonte me contou

(O que?)

A Golda na cadeia

(Oh)

A Hodel ta fugida

(Oh)

Motel ta dançando

(Oh)

Tevye enlouqueceu

(Oh)

Vovó saiu da tumba

(Oh)

E a neta vomitou

(Oh)

Pois quem mandou dançar mulher com homem!

LONGE DO MEU LUGAR

Diz o que eu faço pra você entender

O porquê, meu porquê

Vê quantas terras que eu irei cruzar

Longe do meu lugar

Eu que era sempre a mais feliz aqui

Como eu sou, quem eu sou

Dentro dos olhos, quanto amor eu vi

Aqui no meu lugar

Quem jamais, ao olhar pra mim

Me veria ao lado de alguém?

Eis então que alguém surgiu

E de amor me confundiu

Ah, como dói a encruzilhada em mim

Meu lugar, meu amor

Tenho esse amor e vou dizer que sim

Longe do meu lugar

Meu coração que nem me consultou

Disparou, disparou

Quem perguntar por que ela se afastou

Tanto do seu lugar

Diz: Foi por amor, amor

SEQUÊNCIA DE CHAVA

Meu amor

Minha Chavaleh

Eu não sei porque

O dia escureceu

Tudo esfumaçou no céu

Mas eu ainda te vejo ali

Como um passarinho meu

Chavaleh, Chavaleh

Meu amor

Minha Chavaleh

Sempre a mais gentil

A graça do lugar

O bebê de todos nós

Doce e feliz como um pássaro

O menor passarinho meu

Chavaleh, Chavaleh

ANATEVKA

Um pouco disso aqui

Um pouco mais de lá

Um pote

Um copo

Vassoura

Uma pá

Um banco

Árvore

Pra que fogão?

Pra que casa?

Um pedaço de pau

Um trapo velho

Fica pra trás

Quem da mais?

Restos de Anatevka

Anatevka, Anatevka

Nem um grão, nem um cão

Anatevka

Nenhuma pedra vai sobrar

Anatevka, Anatevka

Fomos nós, todos nós

Anatevka

Qual é a historia pra contar?

Amanhã serei estranho

Aonde eu for

E nos olhos

Sempre a mesma dor

De Anatevka

E nas ruas de Anatevka

Que eu pisei, que eu caí

Anatevka

Será que um dia vão lembrar

De mim?