URINAL

Pegue os seus centavos

Hora de contar

Vai ter que pagar pra mijar

Sem o pagamento

Não vai ter perdão

Vamos te jogar no prisão

Vai pra Urinal

Exilada em Urinal

Direto lá pra Urinal

Sem discussão

(...)

Público insensato

(Público insensato)

Veio aqui olhar

(Veio aqui olhar)

Como é não ser livre pra mijar

(Livre pra mijar)

No segundo ato

(No segundo ato)

Vai ficar pior

(Vai ficar pior)

Vá embora logo que é melhor

(Vai ser melhor)

Isso é Urinal

Só um banheiro em Urinal

Pra todo mundo em Urinal

Este é o design

Sempre a velha história

Cheia de opressão

Fome, dor, miséria e privação

Ricos satisfeitos

Pobres sem tostão

Essa historia não tem solução

Isso é Urinal

O ingresso diz que é Urinal

Não tem mais jeito, é Urinal

Você pagou

Isso é Urinal

(Sempre a velha historia)

(Livre pra mijar)

Isso aqui é Urinal

(Sempre a velha historia)

(Livre pra mijar)

Isso é que é Urinal

(Sempre a velha historia)

(Livre pra mijar)

É isso aqui que é Urinal

(De fome e miséria)

(Ser livre)

Urinal é isso

(E de provação)

(Livre em Urinal)

Urinal

(Em Urinal)

Aqui é Urinal

Vai começar!

SÓ QUEM PAGA FAZ XIXI

Hoje não

To sem dinheiro

Que megera

Tudo eu já ouvi

Só uma vez

É vez demais

De vez em vez

É uma vez a mais

Sou eu que administro

Esta bela instalação

E quem quiser entrar

Vai ter que abrir a mão

Só quem paga faz xixi

Hoje a água vale um dinheirão

E os banheiros são recordação

Não adianta insistir

Sem pagar não faz xixi

Vinte anos sem chover

Fez a água toda evaporar

Eu tomo banho com colher de chá

É um desperdício até cuspir

Sem pagar não faz xixi

Os deputado e os senador

Pessoal trabalhador

Criaram leis que proibiram

Fazer em casa

A urinância e a defecância

Então me passa a grana aqui

Pega a senha e vai pro seu lugar

Que o fiscal mais tarde vem olhar

E eu não quero ti ti ti

É a lei, tem que cumprir

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

Só quem paga faz xixi

(...)

Vocês nem tentar me enganar

(Enganar, enganar)

Comigo aqui não tem negociação

(Quebra essa)

Vocês já sabem que a resposta é não

(Negativo)

Eu sou a chefe disto aqui

(Chefe disto aqui)

Sem pagar não faz xixi

O bom Senhor, Deus Pai, fez nós assim

O mijo não tem fim

E cada gole que você tomar

(Tomar)

Nas tripas vai viajar

(Vai viajar)

Até se transformar

(Transformar)

Virar xixi

(...)

Pra você, é vezes dois

(Você não vai se aproveitar da sua posição)

Se não pagar, chamo a policia

(Eu estou de saco cheio disso)

O velho vai virar notícia

(Juntar dinheiro três vezes ao dia)

Urinal é logo ali

(Isso não é vida)

Mao adianta insistir

(Não é vida)

Só quem paga faz xixi!

NÃO SEJA ASSIM

Rapaz, se lembre bem do que ele fez

(Se lembre)

Perdeu a lucidez

(Se lembre)

Se lembre como foi patético

Velho lunático

Ficou caquético

Não seja assim

Sim, não seja assim

Não seja assim

Não seja assim

Não seja...

PATRÃOZINHO

Neste mundo cinzento e tão frio

Eu fiz ouro jorrar como um rio

Mesmo o céu sendo ainda sombrio

Eu ganhei, conquistei

Todo mundo aplaudiu

Noutros tempos reinava o fedor

Hoje em dia o aroma é de flor

Do excremento eu extrai um valor

Eu tramei, planejei

Quem é o seu salvador?

Quem?

Patrãozinho

Obrigado

Por ser tão rico assim

É o melhor general

Seu instinto é brutal

Pra gerar capital

Ninguém duvida

Perfeitamente

Patrãozinho

Tem riquezas

Tudo que a gente quer

Salve o rei dos reis

O público exclama

Grana cresce aqui feito grama

Nosso mestre ganha dinheiro

Meu ataque é sempre certeiro

Meu patrãozinho

(...)

Toda a grana da população

Vem parar bem aqui nesta mão

Enriquece a corporação

Coletar, sem cessar

É a nossa missão

Há quem diga que a meta é lucrar

Mas o intuito é também pesquisar

Estudando os gases no ar

No final, tudo igual

Mas podemos sonhar

Com

Patrãozinho

(Pai, é o meu papai)

Tem respostas

(Pa-pa-pa-pa-pa-pi)

Pra qualquer situação

(É o meu pai)

Desde sempre o melhor

(Papaizinho)

Entre os grandes, maior

(Meu paizinho)

Sabe tudo de cor

(Eu te amo)

Te amamos tanto

Eu fico tão sem graça...

Patrãozinho

É divino

Hino à perfeição

É do Sul ao Norte

Leste a Oeste

Em qualquer lugar nosso mestre

Uma alma tão verdadeira

Tão bondoso quanto uma freira

Ele é o meu

Ele é o meu

Patrão... Zinho!

CANÇÃO DO POLICIAL

É terrível toda essa viagem

Olhe pra paisagem, é infernal

Um rosto quase decomposto

Piada de mau gosto num funeral

Quem vai lá, vai só a contragosto

Tudo que é imposto terminal mal

É terrível toda essa viagem

Pegue sua passagem para Urinal

Dona Roseli

Foi se esconder longe daqui

Para poder fazer xixi

Ali

Eu vi!

E dona Conceição

Foi se trancar no seu porão

Sem imaginar que em sua mão

Estava uma passagem para Urinal

Tem alguns que acham muito dura

Pura ditadura

O que a gente faz

Mas zelando pela segurança

Esta vizinhança

Dome em paz

Temos que manter a ordem

Espero que concordem

Com a missão

Mamãe dizia: o crime não compensa

Ouça a sentença

De acusação

Seu Adamastor

Urinou no aquecedor

Se espalhou um tal fedor

Que horror!

Senhor!

E o Velho Bonitão

Segurou até com a mão

Na esperança que o filhão

Pusesse um fim na sua aflição

Todo mundo se fartava

Do que a Terra dava, com avidez

Como bichos predadores

Vimos os horrores da escassez

Esse imenso desperdício

Trouxe sacrifício e privação

Como aqui nos falta água

Urinal é a tabua de salvação

Dona Roseli

Dona Conceição

Seu Adamastor

Dona Conceição

Dona Roseli

Velho Bonitão

Não seja assim

Não seja assim

Não seja assim

Não seja assim

Não seja assim

Não seja assim

É terrível toda essa viagem

Olhe pra paisagem, é infernal

Um rosto quase decomposto

Piada de mau gosto num funeral

Quem vai lá, vai só a contragosto

Tudo que é imposto terminal mal

É terrível toda essa viagem

Pegue sua passagem para Urinal

SIGA O SEU CORAÇÃO

Se um dia sem rumo você se encontrar

Perceba que existe em você um radar

Que pulsa com força e que dá a direção

Escute a cantiga e siga o seu coração

(...)

Queremos um mundo de amor e de paz

Pra cada garota e pra cada rapaz

Está pra nascer uma bela nação

Sem raiva e sem mágoa

Repleta de água

Se ouvirmos o seu coração

(...)

Siga o som desta música

Até onde ela for

Alguém está te esperando lá

Onde a luz vai curar toda a dor

(...)

O meu coração vai se unir ao de alguém

Artérias e veias ligadas também

E os dois vão bater em total comunhão

Um feixe de fibras que vibra

O seu coração

O amor cresce tão rápido

O amor vem pra ficar

O amor surge tão súbito

Vem de mansinho e sem avisar

Queremos um mundo de amor e de paz

Pra cada garota e pra cada rapaz

Está pra nascer uma bela nação

Sem ódio e maldade

Só um mar de bondade

Se ouvirmos o seu coração

OLHE PRO CÉU

Longe daqui existe um lindo horizonte

Lá no final encontraremos uma fonte

Todo mundo viveu a vida inteira sem saber

Mas hoje eu vi

Eu entendi

Compreendi

Podemos escolher

Olhe pro céu

Cheio de esperança

É um novo ideal

Mais real

Basta olhar lá pro céu

(...)

Dia após dia recolhemos seus centavos

Dia após dia trabalhamos como escravos

Essa grana é fruto de tortura e de horror

Não posso mais

Ver animais

Tão imorais

Lucrando com a dor

Olhe pro céu

Chega de injustiça

Sobre nós o pesar

De olhar só pro chão

Não pro céu

(...)

Olhe pro céu

Tem uma coração lá

Coração

Lá no céu

Venha ver

É um sinal

Lá no céu

(...)

Seu coração conhece o bem

Que alguns jamais vão conhecer

Seu peito aponta para além

E é pra lá que nós vamos correr

(Pra lá onde?)

Olhe pro céu

Ele é o nosso líder

Pra ganhar

Basta só

Desviar o olhar

Lá pro céu

Olhe pro céu

Onde estão as nuvens

É uma porta se abrindo

Voando, subindo

Pro céu

Lá pro céu

Lá pro céu

NÃO SEJA UM PATO

Veja o patinho na lagoa

Nadando sem se preocupar

Vem vindo alegre em sua direção

Você diz ‘oi’ enquanto estende a mão

Depois, num salto, puxa o seu facão

Vai pro meu fogão

Minha refeição

Entenderam rapazes?

Vai lá, Patrão!

Não seja o pato

No meu jantar

Não seja a presa

Bem melhor é devorar

Não é piada

Nem é boato

É elementar

Não seja o pato

Não seja o pato

(...)

O bom patinho no pedágio

Não tem dinheiro pra pagar

O bom patinho não se preparou

As moedinhas ele não juntou

Pediu perdão, mas preso terminou

Tão gordinho, tão bonito

Hoje o prato é pato frito

Viram a moral?

Claro que sim, Patrão!

Não seja o almoço

Dos urubus

Não seja a base

Seu destino é o topo, Luz

Você tem tudo

Isto é um fato

Mais uma vez

Não seja o pato

Não seja o pato

(...)

O bom patinho na banheira

Pensa que achou um novo lar

Tão bonitinho, grasna pra você

A machadinha não consegue ver

Você mirando onde é que vai bater

A cabeça você racha

Vira um pato de borracha

Está na mão, Patrão!

Não seja o pato

O jogo é seu

A sua meta

É pisar em quem perdeu

Pisando mais

Sem dó, nem tato

Nos imbecis

Não seja o pato

Não seja o pato

Quá, quá, quá, quá, quá!

FINAL DO PRIMEIRO ATO

Nós

Soltem os nós

Não somos mais escravos

Sós

Não estamos sós

Só a contar centavos

Chega de tristeza

E sofrimento

Este é o momento

Da revolução

Nós

Soltem os nós

Não somos mais escravos

Sós

Não estamos sós

Só a contar centavos

Chega de tristeza

E sofrimento

Este é o momento

Da revolução

Em cada lar

Cada rua

A voz do povo

Continua

Clama de novo

Pede uma solução

A revolução

Revolução

Revolução

Solução

Solução

Solução

(...)

Felicidade, Bonitão?

Que ingenuidade, Bonitão

Liberando o pagamento

O povo vai comemorar

Sem controle e sem cobrança

A coisa ia melhorar

Mas a água que nos resta

Logo iria acabar

E o futuro, Bonitão?

E a revolução?

E quanto ao futuro, Bonitão?

Pense pra frente, Bonitão

As reservas são tão frágeis

Quanto um copo de cristal

Qualquer ato impensado

Poderia ser fatal

Como pode ser tão cego

Tão cretino e tão boçal

Pense pra frente, Bonitão

E a revolução?

Pense bem, Bonitão

O Socialismo é ilusão

Se o xixi for liberado

Todos podem perecer

Com tamanho desperdício

Como iríamos viver?

Sendo líderes rivais

Qual de nós dois irá ceder?

Vai ser você, Bonitão

Nosso futuro está em jogo

Pense bem

(...)

Devagar

Não aja sem pensar

Vão atirar vocês

Pra dentro do xadrez

E eu não vou suportar

Ver o final chegar

A decisão fatal

Exílio em Urinal

‘Escute o seu coração’

Você sugeriu

E a revolução

Meu peito seguiu

Não há o que temer

Preciso lutar

Pra gente poder

Mijar sem pagar

Meu amor

Desista por favor

(Do seu coração)

Nós vamos encontrar

Um meio sem lutar

(Brotou esta flor)

Se o plano prosseguir

Meu pai vai conseguir

(Que trouxe a união)

Por causa do motim

Tirar você de mim

(Da luta e do amor)

Vai pra Urinal

(Revolução! É Agora!)

Bonitão em Urinal

(Já chegou a hora)

Exilado em Urinal

(Ação!)

Urinal

(Ação!)

Urinal

(Revolução!)

(...)

Bonitão

(Pense bem)

Olhe a situação

(Bonitão)

Que você nos meteu

(Pense bem)

A coisa aqui fedeu

(Bonitão)

O Patrãozinho é mau

(Veja bem)

E vai baixar o pau

(Bonitão)

Não quero apanhar

(Pense bem)

Pra poder mijar

(Bonitão)

Bonitão

(Pense bem)

(E então do seu coração)

Não tem mais jeito, não

(Bonitão)

Você não conseguiu

(Pense bem)

(Brotou essa flor)

A casa já caiu

(Bonitão)

Que homem infernal

(Veja bem)

(Que trouxe a união)

Pior que um animal

(Bonitão)

Mas ele tem poder

(Pense bem)

(Da luta e do amor)

Por isso vai vencer

(Bonitão)

Ditador

(Pense bem)

(A flor vai morrer)

Um bárbaro opressor

(Bonitão)

Um general tantã

(Pense bem)

(E ressuscitar)

Pior que Gengis-Khan

(Bonitão)

Que vai nos massacrar

(Veja bem)

(Num alvorecer)

E quando terminar

(Bonitão)

Vai nos levar feliz

(Pense bem)

(Pra nos libertar)

Pra onde sempre quis

(Bonitão)

Já pra Urinal

(Revolução! É Agora!)

Todos já pra Urinal

(Já chegou a hora)

Todos já pra Urinal

(Ação!)

Urinal

(Ação)

Urinal

(Revolução!)

(...)

Em cada lar

(Não, Bonitão)

Cada rua

(E o futuro, Bonitão?)

A voz do povo

(As reservas são frágeis)

Continua

(Quanto um copo de cristal)

Clama de novo

(Qualquer ato impensado)

Pede uma solução

(Poderia ser fatal

Vai ser fatal, Bonitão)

A revolução

(Mas que boçal, Bonitão)

Revolução

(Que confusão, Bonitão

Que confusão)

Revolução

(Revolução, Bonitão)

Solução

(É não, Bonitão)

Solução

(É não, Bonitão)

Solução

(É não, Bonitão)

É não!

O QUE É URINAL?

O que é Urinal?

Urinal é o fim

Não tem jeito de escapar

Não vem dizer que sim

Vão te esperar e encurralar

Que nem um animal

Te encaixotar e despachar

Pra tal de Urinal

Te encaixotar e despachar

Pra tal de Urinal

Nal Nal

Nal Nal

Não

Não

Nada de cantar

O povo em Urinal

Não pode nem assobiar

Nem escondido

Nunca, nada, não

A menor que assobie na prisão

(...)

O que é Urinal?

Urinal é a mão

Que empurra os desordeiros

Rumo à dura punição

Comece então a operação

E diga ao marginal

Se não soltar a Luz

Vai todo mundo pra Urinal

Se não soltar a Luz

Vai todo mundo pra Urinal

Nal Nal

Nal Nal

Vão

Vão

Ter que me escutar

O povo achou

Que ia conseguir me derrubar

Eu não me calo

Nunca, nada, não

No meu tesouro

Não vão por a mão

(...)

O que é Urinal?

Urinal é o pó

Alguém que passa a corda

No pescoço e aperta o nó

Viver assim não é pra mim

Eu hoje olhei pro céu

Eu vou lutar até cair

Ser livre é meu troféu

Eu vou lutar até cair

Ser livre é meu troféu

Féu Féu

Féu Féu

Não

Não

Paro de cantar

Escuto um coração

Que aprendeu a galopar

Lindas campinas

Cheias de canções

Que vibram como o ar

Nos meus pulmões

(...)

O que é Urinal?

Urinal é aqui

É o lugar que todo mundo

Sofre e nunca ri

Pensando bem, você também

Já vive em Urinal

Se o medo e a violência

Viram coisa trivial

Se o medo e a violência

Viram coisa trivial

Se o medo e a violência

Viram coisa trivial

É Urinal!

APAGUEM ESSA LUZ

Olha que dó

A loirinha sem sal

Arrogante que só

Prisioneira afinal

Desta vaca eu cansei

Bota nela o capuz

Um, dois, três, já contei

Vai, apaga essa Luz!

(...)

Olhe pra nós

Esperando o melhor

Miseráveis sem voz

Sempre assim, na pior

E já já vão chegar

Policial e o camburão

Ta na hora de apagar

Essa Luz sem noção

Nós tentamos cooperar

Não rolou

Entendemos que atacar

É o nosso show

Era uma vez

Dois bichinhos rivais

A formiga imbecil

Trabalhando demais

Esse tempo acabou

A cigarra vai pagar

Hoje ela é o alimento

Devore o jantar

(...)

Esse é o final

Venho aqui apostar

Nesse mundo animal

Sempre alguém vai ganhar

O momento chegou

Vão abrindo seus menus

O banquete está na mesa

Luz à milanesa

Luz de sobremesa

Devore essa... Essa Luz!

LIBERDADE É BOM

Me dê a mão

Liberdade é bom

Irmão, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

O coração

Vai dar o tom

Então, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

(...)

E tem um raio de luz

Tem um raio de luz

Dentro do seu olhar

Bem no seu olhar

Então, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Ser livre é bom

Largue essa cruz

E sem pesar

Agora

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Ser livre é bom

Tem um Patrãozinho logo atrás

Me dê a mão

Tem o Policial e o seu rapaz

Me dê a mão

Desculpe ser assim didático

O velho não é democrático

O assunto é bem dramático

Me dê a mão

Me dê a mão

Me dê a mão

Liberdade é bom

Liberdade é bom

Liberdade é bom

Irmão, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Liberdade é bom

Liberdade é bom

Liberdade é bom

O coração

O coração

Vai dar o tom

Então, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Me dê a mão

(Aleluia)

Liberdade é bom

(Aleluia)

Irmão, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Vem, Aleluia!

O coração

Co – ra – ção

Vai dar o tom

Tum... Tum... Tum

Então, me dê a mão

Dê-me dê-me a mão

Liberdade é bom

Aleluia!

Dê a mão

De cabelos ao vento

Corra pra vitória

Coração

A liberdade é a luz

Que vai mudar a historia

A mãozinha

A mãozinha

A mãozinha

Liberdade é bom!

Me dê a mão

Ser livre

Liberdade é bom!

POR QUE É QUE EU FUI TE ESCUTAR?

Por que é que eu fui te escutar?

Por que eu deixei esse vilão me controlar?

Eu não notei

Eu me enganei

Agora eu sei

Foi muito azar

Por que é que eu fui te escutar?

(...)

Por que eu ouvi aquele cão?

Com tanta grana foi difícil dizer não

O rei da urina

Na latrina

Me fulmina

Que bundão

Por que eu ouvi aquele cão?

(...)

Bonitão já era

Se achava o tal

Mas não passa de um

Marginal

Não tem julgamento

Não tem discussão

Vamos te jogar na

Prisão

Já pra Urinal

Vai parar em Urinal

Direto lá pra Urinal

Sem confusão

(...)

Por que eu ouvi o Bonitão?

Ele falava de justiça e salvação

Eu me iludi

Não percebi

Agora eu vi

Foi tudo em vão

Por que eu ouvi o Bonitão?

(...)

Por que é que eu fui ouvir seu pai?

Por que é que eu fui ouvir meu pai?

Depois de tudo eu percebi que ele me trai

Não quero crer

Como esquecer?

O que fazer?

Ai ai ai ai

Porque é que eu fui ouvir..

Um cão?

Um cão?

(Seu pai?)

(Isso é Urinal)

Um cão?

(Seu pai?)

(A Luz)

Um

(Seu pai?)

(Se fodeu, é)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão?

(Seu pai?)

(Urinal)

(A Luz)

(Meu pai?)

Um

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão?

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Um

(Vai parar em)

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão?

(Urinal)

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Um

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão?

(Urinal)

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Um

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão?

(Urinal)

(Seu pai?)

(A Luz)

(Meu pai?)

Cão

Ai

Luz

Pai

Urinal!

(...)

Por que eu ouvi meu coração?

(Não tem julgamento)

Que só falava de justiça e salvação

(Não tem discussão)

O povaréu

(Vamos te jogar na)

Me leva ao céu

(Prisão)

E o Patrãozinho vira réu

Por que eu ouvi meu coração?

Porque eu ouvi meu coração?

Que só falava de justiça e salvação

O povaréu

Me leva ao céu

E o Patrãozinho vira réu

Por que é que eu fui ouvir seu

Por que é que eu fui ouvir seu

Pai?

Pai?

Vai

Porque eu ouvi meu

(Porque ele ouviu seu)

Coração!

DIGA PRA ELA

Diga pra ela

Que eu amo ela mesmo assim

Que eu vou ver ela num lugar melhor

De paz e muita luz

Foi pouco tempo

Pro nosso amor frutificar

E nesse amor brilha uma luz

Que diz seu nome sem parar

Um som gentil, suave e inspirador

Afasta todo o horror

Que cheiro de suor

O que eu falei

Não conte pra ninguém

Agora eu fui além

De um sonho eu fui refém

Ninguém faz só o bem

(...)

Diga pra todos

Que a hora certa já chegou

Que é pra lutarem por justiça e paz

Eu não enxergo mais

Mesmo assim vejo

Vejo um a um se levantar

Vão de mãos dadas, mão na mão

E a mão naquilo e aquilo na mão

Existe luz em cada coração

Se um dia...

Se um dia...

NÃO ME IMPORTA

Mandachuva da quadrilha

Dá a filha pros leões

Se ta viva, se ta morta

Só se importa com milhões

Só se importa...

Só se importa...

Só se importa...

Só se importa...

(...)

Vigarista, salafrário

O cenário vai mudar

Vendo a coisa toda torta

O que importa é lucrar

O que importa...

O que importa...

O que importa...

O que importa...

(...)

Esse bando de canalha

Nós retalha no punhal

Puxo a faca, tranco a porta

Não me importa, se deu mal

Não me importa

(Pros grã-finos só frescura)

Não me importa

(Vida dura só pra nós)

Não, não, não me importa

Não me importa

(Isso a gente não suporta)

Não me importa

(Não se importa)

Eu me importo!

Não se importa

Não se importa

Que eles vão pra U – RI...

NÃO ME IMPORTA (REPRISE)

Sem família

(Patrãozinho)

Sem dinheiro

(Patrãozinho)

Fui o pato desta vez

(Se lembra quando)

Fomos jovens?)

Não se importe

(Eu me importo)

Não me importo

Meu amor

EU VEJO UM RIO

Eu vejo um rio de liberdade

Eu vejo um rio bem aqui

Eu vejo um rio de igualdade

Ele é o caminho pra seguir

Venha pro rio, rio de justiça

Venha pro rio, traga alguém

Venha pro rio, rio de justiça

Ele é de todos, seu também

(...)

Filhos e filhas, venham pro rio

Primos e primas

Mães e pais

Toda a família, dentro do rio

Em cada porta, em cada cais

Corram pro rio, entrem no rio

Pulem no rio, mais e mais

Cada pessoa torna-se o rio

Todos no rio são iguais

(...)

Eu sou o rio, ela é o rio

Ele é o caminho pra seguir

Venha pro rio, rio de justiça

Vamos agora repetir

Vemos um rio de liberdade

Vem um rio bem aqui

Vejam um rio de igualdade

Ele é o caminho pra seguir